Ao procurar saúde pública, mulher é orientada a buscar pediatra particular

por Redação JB Litoral
14/01/2015 18:00 (Última atualização: 14/01/2015)

NULL

Ao ligar para a Secretaria Municipal de Saúde de Guaratuba, no litoral do Paraná, para se informar onde havia um médico pediatra para levar a filha de cinco anos – “se era num postinho, pronto-socorro ou no hospital” –, a servidora pública Renata Torres, de 31 anos, foi surpreendida com a resposta da atendente. “Ela me orientou a procurar o pediatra particular da cidade. Ela disse que só tem ele e ainda me passou o telefone dele. Liguei, e a consulta era R$ 150. Isto é um absurdo”.

Renata contou ao G1 que optou em ir à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e que ficou das 10h30 às 16h esperando para que a filha fosse atendida por um clínico geral. “Tinha muita criança no pronto-socorro. É ridículo não ter pediatra, um descaso total. A gente paga IPTU [Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana] louco de caro todo ano”,afirmou. A família da servidora pública tem uma casa em Guaratuba, onde ficou por 16 dias durante essas férias de verão. A situação relatada aconteceu na quarta-feira (7).

De acordo com Renata, a demora ao atendimento se deve pelo fato de não ter um específico para crianças. “Era fila comum”, lembrou. A menina foi diagnosticada com virose, que causa vômito e diarreia. “Aplicaram soro e medicação para dor de barriga e nos liberaram. O médico era muito bonzinho, estava fazendo o que podia”. 

Procurado pelo G1, o secretário municipal de Saúde, Alex Antun, afirmou que a cidade tem quatro pediatras concursados, mas que eles atendem apenas no Hospital Municipal de Guaratuba. O secretário explicou que, em caso de necessidade, as crianças que passam pelo atendimento nos postos de saúde ou na UPA são encaminhadas para os pediatras do hospital.

Postos de saúde e UPA

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Guaratuba tem cinco postos de saúde – três com duas equipes médicas e dois com uma equipe – e uma Unidade de Pronto Atendimento, que tem dois médicos, segundo Alex Antun.

A UPA de Guaratuba é classificada como porte 1, conforme determinação da portaria do Ministério da Saúde, baseada na população do município. Cidades com uma população de 50 mil a 100 mil habitantes devem ter UPA de porte 1, cuja área física mínima deve ser de 700 metros quadrados, sete leitos de observação (número mínimo) e dois médicos por plantão (número mínimo). Alex Antun informou que a população atual do município é de 70 mil pessoas.

  • Além dos médicos que atendem normalmente na UPA, a unidade recebeu o reforço de dois médicos da Operação Verão, do governo estadual, para a temporada.

Ouvidoria

Quanto à orientação repassada pela atendente, Alex Antun afirmou que isso não pode acontecer e que, nesses casos, deve-se procurar a ouvidoria para fazer a reclamação. A ouvidoria da Secretaria Municipal de Saúde fica no prédio da pasta, na Rua Capitão João Pedro, nº 180, no Centro, ao lado do Hospital Municipal.

O horário de funcionamento é das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. Pode-se também fazer o registro na ouvidoria pelo telefone (41) 3472-8682, nos mesmos horários. Para fazer a reclamação, não é preciso se identificar.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments