Após reportagem do JB prefeito tira presidente da Paranaguá Previdência e coloca a ‘curinga’ da UGP

por Redação JB Litoral
14/02/2017 16:58 (Última atualização: 14/02/2017)

Fim da polêmica deflagrada pela imprensa que virou ação civil pública do Ministério Público do Paraná (MPPR) por conta da nomeação irregular como Diretor-presidente da Paranaguá Previdência, José Simplício Maranhão Neto, pelo Prefeito Marcelo Elias Roque (PV), em Paranaguá. No mesmo dia que a reportagem do JB foi às bancas, o prefeito atendeu a Recomendação Administrativa 02/2017, que indicou a imediata exoneração do cargo dentro do prazo de 10 dias, que encerraria na quinta-feira (16) e nomeou a servidora de carreira, Adriana Albini, a “coringa”, para assumir a presidência da entidade.

Por sua vez, José Simplício, irmão do Vice-prefeito Arnaldo Maranhão e do Vereador Luiz Maranhão, ambos do PSB, assumiu ontem (13), o lugar de Adriana Albini, na Coordenação Geral da Unidade de Gerenciamento de Programa (UGP), que administra os recursos e obras do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Da mesma forma, o prefeito Marcelo Roque retirou a mensagem 07/2017, onde fazia alterações na Lei Complementar 53/2006 que assegurava que o cargo de Diretor-Presidente da Paranaguá Previdência fosse exercido por cargo em comissão, de livre nomeação do prefeito Marcelo Roque. A mensagem que havia sido apenas lida na sessão de quinta-feira foi retirada de pauta.

Após reportagem do JB prefeito tira presidente da Paranaguá Previdência e coloca a 'curinga' da UGP 3

“Curinga” desde a época de Baka

Funcionária de carreira, a engenheira agrônoma Adriana Maia Albini, ao longo dos anos se tornou uma “curinga” da administração municipal, desde a gestão do prefeito José Baka Filho (PDT), em razão de ser a pessoa mais forte e importante do grupo político do vereador Jozias de Oliveira Ramos, que está em seu sexto mandato na Câmara Municipal de Paranaguá.

Além de já ter exercido sua assessoria legislativa na Câmara Municipal, a ponto de ter chegado ao cargo de Chefe de Gabinete da presidência, quando Jozias Ramos, presidiu a Casa de Leis, desde a gestão Baka Filho até a atual gestão foram muitas as secretarias municipais que ela geriu.

Na gestão Baka filho ela comandou as Secretaria Municipal da Agricultura e Pesca e Secretária Municipal de Administração.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A servidora não assumiu secretaria apenas na curta gestão do prefeito Mário Manoel Das Dores Roque (PMDB), porém, com a assunção ao cargo do prefeito Edison de Oliveira Kersten (PMDB), que possui laços de parentesco com o ex-prefeito municipal, ela passou por quatro diferentes secretarias.  Ela passou pelas secretarias de Meio Ambiente, Trabalho e Emprego, Recursos Humanos e Administração.

Vale destacar que, por conta de sua passagem pela Secretaria de Recursos Humanos na gestão anterior, Adriana Albini, juntamente com o vereador Jozias Ramos, tiveram determinada a indisponibilidade de bens pelo Juízo da Vara da Fazenda Pública de Paranaguá por ato de improbidade administrativa em ação civil pública. Uma investigação deflagrada a partir de uma denúncia, a 4ª Promotoria de Justiça de Paranaguá constatou a nomeação de uma funcionária “fantasma” (ou seja, que era remunerada, mas, efetivamente, não trabalhava) no período em que o presidente da Casa Legislativa exerceu interinamente o cargo de prefeito, em 2015.

Em 15 dias de gestão, o prefeito interino, em conjunto com a então secretária municipal de Administração e Recursos Humanos, nomeou 43 servidores para cargos em comissão, dentre eles a Chefe de Divisão de Usina Asfáltica, que jamais desempenhou suas atividades no local de lotação. Após dois meses da nomeação, a servidora foi exonerada no mesmo dia em que a Promotoria de Justiça vistoriou o seu suposto local de trabalho e verificou a irregularidade.

Na atual gestão, ela assumiu a Coordenação Geral da UGP e, na condição de “coringa” assumiu a presidência da Paranaguá Previdência pondo fim ao impasse deflagrado pela imprensa.  

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments