Após três anos, caso de feminicídio vai a júri popular

por Redação JB Litoral
05/02/2020 13:27 (Última atualização: 28/02/2020)

Foto: Reprodução/Facebook

Nesta quarta-feira, 5, o Tribunal do Júri de Paranaguá se reúne para julgar o caso de feminicídio que resultou na morte da jovem Renata Lopes Cordeiro, 24 anos. O júri popular, que será presidido pela Drª. Cíntia Graeff, julgará Bruno Patrick Gonçalves Simonato, 20, acusado de matar Renata, na época, namorada de Bruno, com um tiro no rosto.

Bruno está preso desde 2017, ano em que ocorreu o crime. O jovem foi encontrado na casa do pai dele quatro dias após a morte de Renata.

Relembre o caso

O crime aconteceu no dia 23 de junho de 2017, por volta das 5 horas da manhã. Bruno e Renata chegaram de uma festa e iniciaram a discussão na casa onde moravam com a mãe do rapaz, na Vila Ruth, em Paranaguá.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Durante a briga, o companheiro de Renata pegou um revólver calibre 32 e efetuou um disparo contra a vítima. Após o assassinato, o suspeito fugiu em uma bicicleta.

Na manhã do dia 27 de junho de 2017, a Polícia Civil, através da 1ª Subdivisão Policial (SDP) de Paranaguá, realizou a prisão de Bruno. O jovem foi preso na casa do pai dele, no Parque Agari, em Paranaguá.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments