APPA abre licitação para utilizar mais R$ 1,8 milhão em consultorias e projetos

APÓS GASTAR R$ 14 MILHÕES ATÉ 2015

por Redação JB Litoral
07/11/2016 00:15 (Última atualização: 07/11/2016)

NULL

APPA investe mais recursos em consultoria. Foto:Appa

Em um intervalo de dois dias, na semana passada, a Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA) publicou na imprensa e no Diário Oficial do Executivo do Paraná, dois avisos de licitações para contratação de serviços de consultoria e elaboração de projetos que, juntos, somam R$ 1.820.184,74 em recursos públicos.

Na quarta-feira (26) o Pregão Presencial nº 198/2016 anunciou a contratação de empresa para execução de serviços de consultoria “direcionados à implementação dos requisitos de governança corporativa e gestão de riscos, incluindo mapeamento de processo de negócio e identificação de risco com foco nos aprimoramentos do ambiente de controle interno”. Ou seja, uma contratação que sequer explica a atividade a ser realizada e paga.

A licitação, que ocorrerá no dia 10 de novembro, tem um valor máximo de R$ 1.086.666,67.

 

Dois dias após, na sexta-feira (28) a APPA, mais uma vez, abre novo aviso de licitação, a concorrência 150/2016, agora para a contratação de empresa especializada na elaboração de projeto básico e executivo de infraestrutura portuária, compreendendo o projeto do sistema de drenagem pluvial para atender as necessidades do porto.

A data de abertura da licitação ocorrerá no dia 31 de novembro com um valor máximo de R$ 733.518,07 e o prazo de execução é de 120 dias, o que resultará num faturamento mensal da empresa contratada de R$ 183.379,51.

Estas contratações chamam a atenção pelo fato de que, um levantamento do JB divulgado em setembro do ano passado, mostrou que, em quase cinco anos da gestão do Governador Beto Richa (PSDB), a APPA havia contratado empresas para prestação de consultoria e outras para elaboração dos mais diversos projetos para a estatal que, somados até aquela data, totalizaram R$ 14.551.673,73. Somente em 2014, ano da reeleição do governador, apenas seis projetos custaram aos cofres públicos R$ 11.223.885,58, ou seja, 77,13% do total gasto desde 2011.    

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Na época a reportagem do JB fez o levantamento junto ao Portal da Transparência do Governo do Paraná e constatou que, na área de consultoria, de 2011 a 2015 foram feitas três contratações que somaram um total de R$ 1.111.836,49. Logo no primeiro ano, em 2011, a Dzeta Engenharia firmou contrato no valor de R$ 140.514,49, para realização de consultoria técnica na elaboração do programa de arrendamento de áreas e instalações portuárias do Porto Dom Pedro II. No ano seguinte, foi a vez da empresa Insystech Tecnologia de Dados faturar R$ 73.980,00 para efetuar diagnóstico de modelo de tecnologia, de procedimentos e sistemas informatizados implantados nos Portos de Paranaguá e Antonina.

A última contratação na área de consultoria ocorreu em 2015, por meio da empresa Ernst & Young Terco Assessoria Empresarial, num contrato de R$ 897.342,00 para implantação e elaboração do Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS). 

Vale lembrar que, na área de desenvolvimento de projetos, o levantamento mostrou que a Appa havia firmado contrato com 21 empresas de 2011 a 2015 que, somados, chegaram ao valor de R$ 13.439.837,24. Somente no ano eleitoral de 2014, a APPA gastou R$ 11.223.885,58 em seis projetos, o equivalente a 83,51% de tudo o que foi contratado em quase cinco anos no porto. Em 2011 foram contratadas duas empresas que somaram R$ 537.387,11, em 2012, foram sete empresas que somaram R$ 630.820,55, em 2013, três empresas que totalizaram R$ 150.402,00, em 2014, seis que somaram R$ 11.223.885,58 e, até agosto de 2015, foram contratadas três empresas que totalizaram R$ 1.983.362,02.

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments