Policial

Assaltante do banco Bradesco de Guaratuba é morto em Santa Catarina

Por Redação JB Litoral
25/07/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

Na manhã do dia 09 de junho, a agência do Banco Bradesco de Guaratuba foi invadida por um trio fortemente armado, aterrorizando os clientes que ali se encontravam. Rapidamente uma equipe da Polícia Militar chegou ao local e foi recebida a tiros, tendo como saldo um Policial Militar ferido pelos marginais mas felizmente sem gravidade, uma Policial Militar atingida por um disparo no colete, e um suposto cliente atingido por bala perdida.

Após o tiroteio, os marginais conseguiram deixar a agência e tomaram um carro de assalto, vindo capotá-lo nas imediações do aeroporto de Guaratuba e acabando por embrenhar num matagal, abandonando um dos comparsas baleado. Os feridos receberam os primeiros socorros e foram encaminhados ao Hospital Regional de Paranaguá, inclusive o marginal, o qual tinha contra si três mandados de prisão em aberto.

A partir de então, iniciou-se um trabalho de levantamento de dados que possibilitaram a identificação dos assaltantes que empreenderam fuga, com notícias de que agiam em Santa Catarina e norte do Paraná, usando da violência em muitos momentos. Assim, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) – Núcleo de Maringá, iniciou os trabalhos, sendo apoiado ainda pelas Agências de Inteligência do 9o. BPM/6o. CRPM e também da Polícia Militar de Joinville, para onde pelo menos dois dos assaltantes teriam se refugiado.

Dias após, um terceiro integrante veio a falecer após um roubo a motocicleta no município de Maringá. Já nesta terça feira, 22 de julho, descobriu-se que o assaltante apontado como o “mentor” da quadrilha estaria circulando por Joinville e no final da tarde de quarta-feira, 23, Policiais Militares daquela cidade identificaram e tentaram abordar a pessoa de Eder Fabio Azevedo, 29, que tentou alvejar a equipe e levou a pior, vindo a entrar em óbito, numa clara demonstração que a união das forças de segurança só evidenciam a Força do Estado no combate à criminalidade.

Os trabalhos ainda terão continuidade a fim de se verificar a participação de mais pessoas na quadrilha, sendo que foram avistados quatro assaltantes, dos quais dois vieram a falecer, um se encontra preso e um ainda é foragido. “Essa integração entre as Forças de Segurança tem se mostrado imprescindíveis para fazer frente à criminalidade no nosso Estado e, nessa situação específica, também com o Estado de Santa Catarina, haja vista a migração dos marginais de um Estado para outro, com a esperança de ficarem impunes perante a Lei, o que não aconteceu”, comenta o Major Nivaldo Marcelos da Silva, Comandante Interino do 9º Batalhão de Polícia Militar.