Barco pirata de Guaratuba se adapta às necessidades da pandemia

por Redação JB Litoral
15/01/2021 15:22 (Última atualização: 15/01/2021)

Barco pirata sai da Praça dos Namorados, em Guaratuba, permite aventura segura para turistas no litoral. Foto: Lucas Sarzi.

Lucas Sarzi 

O tradicional passeio com o barco pirata de Guaratuba, no litoral paranaense, precisou se adaptar para continuar funcionando em meio à pandemia de coronavírus. No final de semana, o JB Litoral esteve na cidade para acompanhar de perto como estão os cuidados para com os turistas e o que foi preciso mudar para fazer com que a tradição não se perca por conta dos problemas provocados pelo vírus.  

A primeira alteração já pode ser percebida logo ao comprar o bilhete para o passeio, que é feito há quase 30 anos: assim como em todos os lugares das outras cidades paranaenses, é obrigatório o uso de máscara, até mesmo durante o trajeto em alto mar. Para trazer ainda mais segurança aos turistas e a quem trabalha, o barco pirata reduziu a quantidade de pessoas a bordo para 50% da capacidade.  

No ano passado, no auge da pandemia, a embarcação praticamente não operou e isso trouxe um grande prejuízo financeiro para a empresa, o que afetou diretamente os funcionários. Carlos Antônio Grando, 63 anos, o comandante do barco pirata de Guaratuba, conta que a adaptação foi necessária. “Nós ficamos entre 7 e 8 meses sem poder movimentar nossas embarcações. Mas o custo é real e existe, por isso encontramos uma saída para não pararmos de vez, pois é o nosso único ganha-pão. Temos que continuar de alguma forma”. 

O marinheiro, que está no comando do passeio de barco há 23 anos, contou que no começo foi bem difícil. “O movimento caiu muito, mas nós entendemos o momento e a situação. Com o passar dos meses, a vida foi voltando aos poucos ao normal, ainda que de máscara e com álcool em gel”.  

Barco pirata de Guaratuba se adapta às necessidades da pandemia 2
Capitão Carlos está no comando do barco pirata há 23 anos. Foto: Lucas Sarzi

Com duração de aproximadamente 1h30, ele sai da Praça dos Namorados e percorre um trajeto no entorno da baía de Guaratuba, mostrando algumas curiosidades e também brincando com a temática pirata. Por estar com 50% da capacidade, o distanciamento entre os ocupantes é mantido, assim como o respeito à orientação do uso de máscara. 

Diversão segura, mas necessária 

A família de Silvia, aposentada que veio com o neto e a filha, já é fiel a esse passeio. “É a segunda vez que eu venho. E dessa vez, em meio à pandemia, deu para perceber que todos os cuidados estão sendo tomados. Um pouco também cabe a nós mesmos, de ficarmos distantes e nos atentarmos às questões de segurança”, comentou a mulher, que é de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. 

Já no caso de Natália Sousa, 28 anos, que veio de Londrina, no Norte do Paraná, foi a primeira vez que a família passeia no barco pirata. “Depois de um ano dentro de casa, nós resolvemos nos programar para aproveitarmos um pouco, mas dentro de todos os limites que nós mesmos nos impusemos. Não temos como aproveitar a folga se não estivermos seguros, o momento pede isso”.  

A jovem, que veio com o marido e o filho, que tem 5 anos, disse que o passeio estava dentro do esperado. “Percebemos que todo mundo respeitou a distância e manteve as máscaras. A gente sabe que é difícil, com o calor principalmente, mas temos que tomar os cuidados, depende mais da gente do que tudo”.  

Banho de mar refrescante! 

Além de trazer um pouco das curiosidades que cercam o entorno de Guaratuba, o passeio do barco pirata também permite aos turistas um momento ainda mais especial. Por cerca de 30 minutos, as pessoas podem se jogar no mar e aproveitar um refrescante banho nas águas calmas do litoral paranaense. Adultos pagam R$ 40 e crianças de 5 a 10 anos R$ 20, enquanto crianças de 0 a 4 anos não pagam. Mais informações pelos telefones (41) 99604-7045 ou (41) 99978-7069. 

Barco pirata de Guaratuba se adapta às necessidades da pandemia 3
Por 30 minutos, os turistas podem ter a experiência de aproveitar um banho em alto mar. Foto: Lucas Sarzi

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments