Lazer e Cultura

Cachaças de Morretes ganham prêmio internacional de qualidade

Por Redação JB Litoral
26/06/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

Neste mês, três produtores de cachaça de Morretes se destacaram no Concurso Mundial de Bruxelas – Spirits Selection, que foi realizado em Florianópolis – SC, entre os dias 6 e 8 de junho. Pela primeira vez na América Latina, o concurso possui a intenção de eleger as melhores bebidas alcoólicas do mundo, ocorreu pela primeira vez na América Latina, elegendo, também de forma inédita, três cachaças do litoral paranaense entre as melhores bebidas do planeta. Além de possuir consumidores estrangeiros, as produtoras trazem turistas para a região, interessados em conhecer a produção da cachaça.

As marcas premiadas foram a Porto Morretes, Casa Poletto e Boa Brasil, administradas, respectivamente, pelos produtores Fulgêncio Torres, Sadi Poletto, e Sergio Pignanelli, que conquistaram ao todo sete medalhas em várias categorias voltadas à premiação de cachaças. Somente a cachaça Porto Morretes, que é produzida pela Agroecológica Marumbi, de Morretes, levou no total cinco medalhas, entre elas na categoria Grande Medalha de Ouro, prêmio que inclusive já foi recebido pela cachaçaria do litoral paranaense em 2012. A Casa Poletto, recebeu prêmio na Categoria Ouro e a cachaça Boa Brasil na categoria Prata, demonstrando a qualidade da bebida que é produzida em Morretes.

“Foi uma surpresa muito grande recebermos a premiação. Sempre investimos em pesquisa e inovação”, afirmou o produtor Fulgêncio Torres, da Porto Morretes, que já atua há 10 anos no mercado, fabricando um total de 70 mil litros a cada safra. Segundo ele, mais de 60% de toda a sua produção é destinada aos Estados Unidos, onde é usada principalmente para coquetéis, algo que demonstra a qualidade do produto que já tem alcance internacional.

Além da força própria na produção, todas as cachaças premiadas em Morretes recebem o apoio do Sebrae/PR, que afirmam que o projeto ao qual os produtores participam, tem “com foco em boas práticas de produção, fabricação e distribuição. Voltado para todos os elos da cadeia produtiva de hortifrutigranjeiros, a proposta do Sebrae/PR também se estende a pequenas destilarias e cervejarias, para as quais são oferecidas consultorias e soluções no desenvolvimento de produtos”.

As cachaças possuem auxílio da Sebraetec – Serviços em Inovação e Tecnologia – Modalidade Diferenciação, solução da entidade que subsidia projetos de inovação, que ajudou os produtores, através da tecnologia, a produzirem cachaças diferenciadas. “Duas das cinco medalhas conquistadas no Concurso são frutos do apoio direto concedido pela entidade na criação de novos produtos, de forma inovadora”, diz Fulgêncio Torres.

De acordo com consultora do Sebrae e gestora do Projeto de Hortifrutigranjeiros, Maria Isabel Guimarães, “o resultado mostra que estamos no caminho certo, razão pela qual iniciamos a discussão de um processo com o objetivo de obtermos a identificação geográfica das cachaças produzidas em Morretes. Os elaboradores premiados estão de parabéns, porque, além de se destacarem num concurso bastante disputado, não têm medido esforços no seu trabalho”, destaca, elogiando os produtores de Morretes”. “Os elaboradores das cachaças Boa Brasil e Casa Poletto, assim como o da Porto Morretes, são parceiros do Sebrae/PR e confiam no trabalho em conjunto e nos consultores da entidade. Com a Boa Brasil, ajudamos no desenvolvimento de produtos. E com a Casa Poletto, sua legalização como empresa”, finaliza a representante do Sebrae.

Ao todo, cerca de 203 cachaças do Brasil concorreram. Além disso, no total, houveram 720 amostradas de bebidas do mundo todo, entre elas uísques, tequilas, conhaques, grapas, piscos, cachaças, entre outros. Os produtos foram avaliados por 47 jurados brasileiros e estrangeiros.

*Com informações e foto do Sebrae.

Legenda: Cachaças de Morretes foram premiadas mundialmente.

 

DESTACAR O OLHOS

 

Pela primeira vez na América Latina, o concurso possui a intenção de eleger as melhores bebidas alcoólicas do mundo, ocorreu pela primeira vez na América Latina, elegendo, também de forma inédita, três cachaças do litoral paranaense entre as melhores bebidas do planeta.