Antonina

Conseg de Antonina tem nova gestão; trabalho preventivo é o foco do atual presidente

Por Redação
10/06/2022 12:35 |
Atualizado em 12:36

Desde o dia 6 de maio, o Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) de Antonina tem um novo representante. Roberto Carlos Posio foi eleito para presidir o órgão pelo biênio 2022-2024. A nova gestão foi reconhecida pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP) e pela Coordenação Estadual dos Conselhos Comunitários de Segurança. A posse está marcada para o dia 14 de junho.

Aos 56 anos, Posio é segurança pessoal aposentado e atua como professor de artes marciais e defesa pessoal. Também é conhecido por exercer a cidadania e denunciar supostas irregularidades cometidas no âmbito municipal.

A área de segurança sempre esteve presente na minha vida, direta ou indiretamente. O objetivo do Conseg é, primeiramente, auxiliar nas questões que estão mais latentes em nosso município, como os casos de drogas e alcoolismo. Hoje, qualquer criança que tenha dinheiro para comprar álcool ou cigarro, por exemplo, o comércio como um todo realiza a venda, sem o pedido de documentação. Isso é muito complicado e devemos tomar ações imediatas para evitar essas ocorrências, pois, através dessa porta aberta, as coisas se complicam ainda mais futuramente”, comenta sobre seus objetivos na presidência do Conselho.

Para combater esse tipo de situação, Posio acredita na realização de trabalhos preventivos e ações de conscientização da população. “Um exemplo de ação preventiva é o desenvolvimento de projetos esportivos. Eu mesmo sou muito dedicado aos esportes e tenho a intenção de realizar alguma atividade dedicada à área marítima, a fim de aproveitarmos nossa linda baía para esportes aquáticos”, diz.

Esporte como aliado à segurança


Em sua opinião, o esporte é uma ferramenta eficaz no combate à drogadição, evitando que crianças, adolescentes e jovens acabem entrando nesse mundo e no da criminalidade. Além disso, ele destaca a importância da atividade física na saúde e bem-estar da população.

Outra situação relatada pelo presidente, e que o Conseg dará atenção, são os casos de estupros de menores de idade em Antonina. “Vemos muitas situações de estupros a menores e, ao analisarmos as famílias, vemos que o pai bebe descontroladamente e que há violência doméstica dentro das famílias, por exemplo. O menor já vive nessa realidade vulnerável e o estuprador se aproveita da situação”, comenta.

Por isso, ele afirma que pretende resgatar as atividades do Conselho Tutelar, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), para que, juntos ao Conseg e as demais forças de segurança, as instituições auxiliem no combate aos crimes contra crianças e adolescentes.

Busca por câmeras de monitoramento


Os Conselhos Comunitários de Segurança do Paraná são apoiados e representados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP). O órgão tem o objetivo de ser um espaço onde toda a população possa se reunir para pensar em estratégias de enfrentamento aos problemas de segurança, tranquilidade e insalubridade da comunidade, se encaixando à orientação do art. 11 da Constituição Federal, que diz que a preservação da ordem pública é dever do Estado, porém, direito e responsabilidade de todos.

Sendo assim, o Conseg é uma entidade de apoio à Polícia Civil e Militar, que busca estreitar a relação entre comunidade e polícia, fazendo com que ambos cooperem entre si. “O Conseg dá apoio às forças de segurança. Originalmente, os membros natos do conselho são a Polícia Civil e Militar, então, nosso relacionamento está sendo aprofundado. A ideia é trabalharmos juntos e em comum acordo porque, como nós, eles também têm esse anseio por solucionar os problemas de Antonina mediante a prevenção”, afirma Posio.

Outro plano desta gestão é o de avançar no processo de aquisição e instalação de câmeras de monitoramento e segurança para combate à criminalidade em pontos estratégicos da cidade. O presidente informa que já existem conversas adiantadas sobre o assunto com deputados estaduais que têm interesse de investir no projeto.