Demissão de 10 cobradores da Viação Rocio gera comoção nas redes sociais

por Redação JB Litoral
26/02/2019 18:51 (Última atualização: 27/02/2019)

Na segunda-feira (25), 10 cobradores foram desligados da empresa, respeitando as todas as garantias indenizatórias.

Após a recente demissão em massa de mais de 200 trabalhadores da empresa Heringer Fertilizantes, em Paranaguá, que fechou as portas na cidade, a companhia que realiza o transporte coletivo no município, Viação Rocio, comunicou o desligamento dos cobradores remanescentes de suas linhas operacionais, na segunda-feira (25).

Com isto, 10 profissionais estão desempregados e os motoristas dos ônibus têm dupla função, a de dirigir e, também, cobrar os passageiros. Questionada pelo JB Litoral a respeito da segurança no transporte, a Viação Rocio esclarece que “a retirada do cobrador da operação não acarreta em diminuição e/ou aumento da segurança na viagem, vez que o motorista é proibido de dirigir enquanto cobra a passagem”.

A empresa ainda explica que, desde 2015, as linhas já vêm, gradativamente, retirando os cobradores e tendo somente motoristas na operação, que recebem pela hora cobrada. “Desde 2015 os cobradores contaram com estabilidade de emprego devido à adição de cláusula de Demissão Voluntária no Acordo Coletivo de Trabalho, que garantiu todos os direitos inerentes à uma rescisão sem justa causa para aqueles que por ela optassem. A retirada desta cláusula foi debatida e votada pelos trabalhadores, em Assembleia Extraordinária, em dezembro de 2018, realizada por entidade sindical”, informa.

De acordo com a Viação Rocio, a realidade do setor de transporte vem se transformando e, aliada aos grandes investimentos em tecnologia e bilhetagem eletrônica, feitos pela empresa, e a necessidade de corte de custos, foi o que levou à demissão dos funcionários. Entretanto, é informado que, desde 2015 até o presente momento, “foram dadas oportunidades de troca da função para os cobradores que expressassem vontade de continuar a trabalhar na empresa”.

Cenário caótico

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O Vereador Jaime Ferreira dos Santos (PSD), o Jaime da Saúde, se manifestou, via redes sociais, lamentando a situação da geração de empregos na cidade. “A coisa está difícil aqui em Paranaguá com relação a empregos”, disse.

Para que o cenário do mercado empregatício melhore, ele acredita que o Prefeito Marcelo Roque (Podemos) deve enviar à Câmara de Vereadores um projeto de incentivos fiscais, para que mais empresas sejam atraídas para a cidade. “Eu fiz um projeto que foi rejeitado pelos vereadores da base e, nele, estavam previstos incentivos fiscais para as empresas que contratassem 80% de mão de obra de parnanguaras. Mas não importa quem seja o pai do projeto, apenas que Paranaguá saia desta situação caótica de emprego”, afirmou.

Demissão de 10 cobradores da Viação Rocio gera comoção nas redes sociais 2

Jaime divulgou a foto comovente nas redes sociais. Segundo ele, é necessário que haja um projeto de incentivos fiscais para que empresas se instalem em Paranaguá.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments