Destaques

Demora na liberação do alvará ao projeto original, shopping poderá perder os cinemas

Por Redação JB Litoral
29/08/2014 09:50 |
Atualizado em 09:50

Na quarta-feira (13), a secretária municipal de Urbanismo, Débora Ramos, prestou uma nova coletiva à imprensa onde fez uma explicação sobre o processo para obtenção do Alvará de Construção do Polloshop, empreendimento que será construído na área do antigo mercado Condor, na Rua João Eugênio, no centro de Paranaguá. O local atualmente está abandonado, sendo alvo de pichações, “mocó” para usuários de drogas e, até mesmo ponto onde ocorrem assaltos. A pressão da população pedindo providências e do vereador Arnaldo Maranhão (PSB) nas sessões da Câmara e no seu programa de rádio, por conta do estado de abandono, tem sido noticiada pelo JB desde o ano passado. 

De acordo com Débora Ramos, no dia 11 de agosto a prefeitura encaminhou as últimas taxas para que os proprietários do Polloshop obtenham as autorizações necessárias para o início da construção. Segundo a secretária, em julho de 2014 os proprietários do empreendimento fizeram alterações no projeto da obra, que precisaram ser reanalisadas antes da aprovação, algo que aumentou ainda mais o processo de liberação do alvará. Com a emissão das taxas, a expectativa é de que elas sejam pagas em breve e a construção seja iniciada. O trâmite para que o procedimento se torne realidade é extenso.

Segundo Débora Ramos, por ser um empreendimento de grande porte, a vinda do shopping tem um processo específico de aprovação, que precisa “passar por vários órgãos de áreas como, por exemplo, Meio Ambiente, Serviços Urbanos, Trânsito, Vigilância Sanitária, dentre outros e que demora levará cerca de um ano”, ressaltou a secretária, que foi lembrada pelo JB que o processo está tramitando há um ano e meio.

“Tivemos que mudar o Plano Diretor para adequá-lo a esses e a outros empreendimentos que virão para a nossa cidade. Esse processo demanda a realização de Audiências Públicas e aprovação pela Câmara Municipal, o que também acresce um pouco mais no tempo final para liberação da obra”, explica a secretária, que afirma que o prefeito Edison Kersten (PMDB) não tem medido esforços para que o Polloshop torne-se realidade.

Segundo ela, a culpa pela demora é conjunta, ou seja, de todos os envolvidos no processo: prefeitura, Polloshop e Câmara Municipal. Vale ressaltar que em 2013, quando os primeiros contatos foram feitos entre a administração municipal e o Polloshop, a expectativa era de que a inauguração ocorresse no final de 2013 ou até abril de 2014, algo que não se concretizou.

Vereador criticou a demora e o abandono do local

Um dia antes da coletiva de imprensa, o vereador Maranhão usou o plenário para criticar o estado de abandono do local onde será construído o PolloShop e a demora na liberação do alvará. Segundo ele, a localidade tornou-se um grande “mocó”. Na sessão, Maranhão questionou abertamente o que estaria faltando para que se liberasse o alvará para a instalação do shopping e quem estaria segurando este processo na prefeitura.

O vereador ressaltou que a aprovação do Plano Diretor para dar permissão legal para instalação do empreendimento já foi feita na Câmara e questionou o que está faltando no presente momento. “Precisa demorar tanto?”, disparou o vereador.
Além dos problemas causados com o abandono do local, tal demora acaba por dificultar a vinda de empresários que desejem se instalar na cidade, diminuindo oferta de empregos e renda circulando no município.

“A prefeitura tem a obrigação de agilizar o processo. Vamos receber de braços abertos as pessoas que estão querendo investir em Paranaguá e não afugentá-los”, observou, criticando o segundo escalão de cargos da prefeitura, responsabilizando-os pela demora no processo.
Durante a coletiva, o vereador que se fez presente, através do seu programa na rádio Litoral Sul FM, reforçou suas críticas e sugeriu a secretária Débora Ramos, que uma situação como esta não se repita.

Polloshop responde

A vinda do Polloshop causa grande expectativa para a população litorânea desde o início de 2013, época em que foi anunciada a vinda do grande empreendimento. Com 9 mil metros quadrados, o shopping terá um total de 180 lojas. Além disso, há a possibilidade de geração de 1500 empregos diretos e indiretos para a população. Em abril de 2014, quando o JB já observava o problema com o abandono do local, a Polloshop enviou uma nota, esclarecendo que aguardava, na época, “apenas a liberação, por parte da Prefeitura Municipal de Paranaguá, dos alvarás necessários para que as obras sejam iniciadas.

O grupo reforça ainda que está trabalhando com o mais alto nível de engajamento para iniciar o quanto antes as obras do novo empreendimento em Paranaguá, considerada uma das mais importantes cidades portuárias do Brasil”, finalizou a assessoria na época. Novamente o JB entrou em contato para saber qual o estágio atual dos trâmites para a vinda do shopping, dessa vez a assessoria do Polloshop afirmou que “o projeto do shopping em Paranaguá está sendo reavaliado e um novo projeto será apresentado para a Prefeitura”, e garantiram que, havendo novidades, serão comunicadas ao JB.

Vale ressaltar que o JB teve acesso a informação que a demora para aprovação do alvará para iniciar a obra do projeto original, fez com que investidores desistissem do empreendimento na cidade e, um deles, é a empresa que traria, cinco salas de cinema, incluindo uma VIP. Isto fez com que o projeto tivesse que ser readequado, o que ocorreu recentemente.

*Com informações da Prefeitura Municipal