Denarc prende cinco pessoas e tira circulação 60 quilos de droga em Paranaguá

por Redação JB Litoral
08/11/2016 12:14 (Última atualização: 08/11/2016)

NULL

Sessenta quilos de drogas, entre maconha, crack e cocaína, foram apreendidos e cinco pessoas acabaram presas pelos policiais da Denarc (Divisão Estadual de Narcóticos), na noite de sábado, 5, em Paranaguá.

Conforme as informações, que foram divulgadas pelo site da Polícia Civil do Paraná na segunda-feira, 7, as investigações começaram após a polícia receber a denúncia de que Antônio de Oliveira, vulgo Negão e morador do bairro Cajuru, em Curitiba, estaria intermediando a venda de drogas no litoral do Paraná. Um dos contatos seria com os traficantes Leandro da Silva e Ezequiel Davi do Livramento, de Itaiópolis-SC.

“Com base nestas informações, os policiais passaram a monitorar de forma velada a rotina de Antônio de Oliveira e visualizaram o momento em que ele foi ao encontro dos outros dois suspeitos vindos de Santa Catarina para buscar o entorpecente”, explicou a delegada da Denarc, Camila Cecconello, que conduziu as investigações ao lado do delegado Rodrigo de Souza.

A prisão ocorreu quando os suspeitos se aproximaram da residência de Valdecir Ferreira, onde estava armazenado o entorpecente em Paranaguá. No interior da casa foram localizados 57 quilos de maconha, 2 quilos de crack e 1,4 quilos de cocaína, além de um revólver calibre 38 e munições. 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Na oficina de Valdecir Ferreira, anexa à residência, foi preso em flagrante um dos funcionários do local – Ailtom Rodrigues Ribas – portando porções de maconha para a venda. 

Quatro dos presos possuíam antecedentes criminais. Antônio de Oliveira pelo crime de associação ao tráfico, Valdecir Ferreira por tráfico de drogas, Ailtom Rodrigues Lima por porte ilegal de arma de fogo e Leandro da Silva pelo delito de furto. 

Ailtom Rodrigues Lima foi preso em flagrante pelo crime de tráfico de drogas e os demais por de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Todos estão à disposição da Justiça.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments