Covid-19

“Eu tenho certeza de que a ponte vai sair do papel”, diz Roberto Justus sobre futuro de Guaratuba

Por Brayan Valêncio
01/01/2022 11:18 |
Atualizado em 11:19

Guaratuba teve um ano atípico, em que a cidade retomou o ambiente de turismo e buscou recuperar a economia em eventos-testes e, agora na temporada, vem batendo com recordes na visitação.

“Eu tenho certeza de que a ponte vai sair do papel”, diz Roberto Justus sobre futuro de Guaratuba, JB Litoral - Notícias de Paranaguá, Guaratuba, Morretes, Guaraqueçaba e litoral do Paraná
Foto Justus: Prefeito analisa ano e acredita em potencial turístico único da cidade do Cristo / Foto: JB Litoral
 

Entre as principais ações que pautaram o município, estão a construção da sonhada ponte que ligará Guaratuba a Matinhos, a criação de um plano de mobilidade a longo prazo e também a melhoria de destaque, como a orla e uma possível ampliação da faixa de areia.

A vacinação também foi relevante, atingindo 85% da população e garantindo à cidade uma das menores médias de mortes em toda a região. São quase 2 meses sem óbitos neste final de ano, as contaminações também reduziram drasticamente e marcam um dezembro oposto ao cenário visto no 1º semestre.

Para comentar todos esses fatos marcantes de 2021 e trazer a perspectiva do planejado para 2022, o prefeito Roberto Justus (DEM) concedeu uma entrevista exclusiva ao JB Litoral. Confira:

JB Litoral – Em 2021 a Covid-19 atrapalhou, novamente, o trabalho da gestão, mas a vacinação avançou e, por tabela, reduziu o índice de contaminação. Como foi enfrentar essa dificuldade na área da saúde?

Roberto Justus – O enfrentamento à Covid-19 foi e ainda é algo que vai ficar marcado para a nossa vida toda, sejam pelas perdas que sofremos, as dificuldades que enfrentamos em relação a leitos e vagas em UTI’s. Enfim, é algo que ainda precisa ser processado. Mas, eu diria que objetivamente Guaratuba fez o seu papel. Nós cumprimos a nossa parte no que diz respeito às restrições: fiscalizamos e a população aderiu às regras e fez a sua parte. Eu posso assegurar que nenhuma vida foi perdida por falta de assistência ou falta de leito. Agora, que este ano foi muito sofrido, isso foi. Ele foi perdido, especialmente, para uma cidade turística como Guaratuba. Mas, mostramos também que nós temos outras vocações, como a pesca e a agricultura. Acreditamos muito que agora, nesta temporada de verão, a gente consiga recuperar todo esse prejuízo ou uma boa parte dele.

JB Litoral – A tão sonhada ponte também está sendo alvo de entraves. Qual sua perspectiva para este projeto que ligará Matinhos a Guaratuba?

Roberto Justus – A ponte não está sofrendo nenhum tipo de entrave. Nós tivemos, no comecinho deste ano, um revés quando o governo do estado tentou licitar a elaboração da execução dos licenciamentos ambientais, junto com a elaboração do plano do projeto executivo e a obra em si. Os órgãos de controle disseram para o governo que ele não podia fazer as três coisas ao mesmo tempo, aí a licitação não pode ser feita, mas o bacana é que o governador não quis discutir, ele acatou essa recomendação e, na sequência, abriu a licitação para contratação de uma empresa que fizesse esses licenciamentos ambientais. O processo licitatório foi concluído como uma empresa que agora está fazendo todo o procedimento de licenciamento ambiental. Concluída esta etapa até 2022, o governador vai ter todas as condições de abrir a licitação para a contratação da empresa que fará o projeto e a obra. A minha expectativa é muito boa, eu espero ver em 2023 essa obra sendo iniciada. E aí mais 4 anos para que ela seja concluída, então não há entraves e sim uma expectativa como nunca. Eu tenho certeza que a ponte vai sair do papel.

JB Litoral – Sua postura tem sido firme no sentido de manter as comemorações de final de ano e o Carnaval. Esta defesa do turismo de festas, se deve por considerar o potencial da cidade para ser o maior polo turístico do Paraná? Não teme o risco com a Covid-19?

Roberto Justus – A minha postura tem sido firme em relação à ciência, em relação aos dados, às informações, às estatísticas que nós temos. Quando elas dizem “precisamos fechar”, a gente fecha imediatamente. Quando elas não apontam nessa linha, a gente não precisa fechar. E é justamente isso que nós estamos vivendo hoje. Estamos há mais de 40 dias sem nenhum óbito em Guaratuba. Nesse período, o governo do estado derrubou praticamente todas as restrições, exigindo apenas e tão somente o uso de máscara, permitindo shows e eventos com mais de 10 mil pessoas ao ar livre. Nós fizemos vários eventos-testes, com jovens e idosos, e não tivemos nenhum indicativo de aumento do número de casos. Estamos com uma média móvel de cinco casos confirmados por semana. São quase 90% da população de Guaratuba vacinada. Então, esse é o entendimento da prefeitura, também do comitê de saúde, que inclusive conta com a participação da sociedade civil e representantes de vários setores da economia. Vamos acompanhar agora com a virada. Veremos lá por 15 de janeiro, se a gente perceber alguma mudança nos números, nós vamos decidir a respeito da execução ou não do Carnaval. Mas tudo com muito critério. Esse é o nosso posicionamento.

JB Litoral – Pensando no futuro, após um ano pandêmico muito movimentado, o que a população pode esperar da gestão Roberto Justus em 2022?

Roberto Justus –   A população pode esperar trabalho, trabalho e trabalho. Desde o 1º dia do meu mandato, eu só tenho trabalhado como se fosse o último dia do meu mandato. E tenho trabalhado com muita fé e com muita coragem. Olhando agora para trás a gente pode perceber a quantidade de problemas aparentemente insolúveis que nós conseguimos resolver, como a nossa praça central que estava totalmente abandonada, a ponte do Cubatão era algo que ninguém acreditava que ia sair do papel. Até o final do meu mandato, nós construiremos duas escolas municipais. A situação da Santa Casa também era muito complicada e a gente conseguiu regularizar tudo. Então, é muito trabalho e muita coragem, né? Não tenho medo de enfrentar os problemas, as dificuldades e assim eu vou até o fim. Nós não vamos parar e assim a gente vai com muito trabalho e mais trabalho para deixar um bom legado para a nossa querida Guaratuba.