GESTÃO AMBIENTAL – Aditivo aumenta contrato da Appa com Ambiens para R$ 6 milhões

por Redação JB Litoral
11/09/2015 17:00 (Última atualização: 11/09/2015)

NULL

Enquanto a sede do Sindicato dos Trabalhadores Portuários do Paraná (Sintraport), que defende os interesses dos portuários de Paranaguá e Antonina, espera pela sua demolição, parte da empresa Ambiens, Consultoria e Projetos Ambientais continua instalada no prédio público da Appa, onde cumpre seu contrato de gestão ambiental, iniciado em novembro de 2014, em Paranaguá. 

Contratada para prestar serviços de apoio técnico nas atividades de gestão ambiental e execução dos programas de monitoramento ambiental da Appa, atendendo exigências contempladas nas condicionantes da Licença Ambiental de Operação do porto, concedida pelo IBAMA em julho/2013, com menos de um ano, o contrato da Ambiens já recebeu um aditivo de R$ 377.910,47. Isso fez o valor original saltar de R$ 5.928.000,00 para R$ 6.305.910,47, o que representou um faturamento mensal de R$ 262.746,26, desde novembro de 2014.

Em uma busca feita no site da Ambiens, a empresa, que fica instalada no Setor Ambiental da Appa, informa que neste contrato, dentre as atividades exercidas, destacam-se a execução dos programas de gestão ambiental, auditoria ambiental, comunicação social, educação ambiental, gerenciamento das emissões atmosféricas, gerenciamento de resíduos sólidos e efluentes líquidos, verificação e gerenciamento da água de lastro dos navios, monitoramento da qualidade das águas, sedimentos, biota aquática e atividade pesqueira. Mas, o que se vê efetivamente na cidade são outdoors publicitários dando conta de algumas ações ambientais que não se vê a Appa realizando. Uma delas é a limpeza das vias de acesso ao porto. Todavia, um imenso outdoor mostra homens varrendo o trecho da BR-277 diante da sede administrativa da Appa, que constantemente recebe o despejo de resíduos dos produtos descarregados no porto.

Algo que acontece com mais frequência na rua paralela, ao lado do Palácio Taguaré, onde a população de pombos se alimenta destes resíduos gerados pela movimentação portuária, como já registrou o JB.

Esgoto a céu aberto e Semana do Meio Ambiente

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O mesmo ocorre no trecho que fica ao lado da empresa Bunge do Brasil, onde resíduos de produtos podem ser vistos na rua e ao lado de um canal de esgoto a céu aberto, conhecido por Rio do Chumbo, que desagua nas margens do Rio Itiberê, no bairro da Costeira. Cobrada pelo JB, através do Caderno de Responsabilidade Social, a empresa esclarece nesta edição que “a limpeza da via pública é realizada pelo órgão responsável pelo porto de Paranaguá”, no caso, a Appa. Uma situação que se mostra em desacordo com a gestão ambiental, já que a Ambiens recebe recursos públicos para gerir na Appa. [tabelas]

Vale destacar que, até mesmo na tradicional Semana do Meio Ambiente deste ano, apesar do investimento de R$ 262 mil em gestão ambiental, nem a Appa e tampouco a Ambiens levaram ao menos um estande para divulgar as ações ambientais na cidade. Este ano, o porto não participou da 10ª edição da Semana de Meio Ambiente, que teve como tema a conscientização sobre a destinação correta do lixo. 

Nesta semana, o JB enviou mensagem eletrônica contendo questionamentos para a Appa e a Ambiens. O foco das indagações foi sobre qual tem sido o serviço desenvolvido pela Ambiens, além do fato da empresa utilizar-se de um imóvel público. Da mesma forma, foi questionado se a Appa efetua a retenção do ISS da empresa. Na próxima semana o JB trará a posição de ambas.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments