Governo do Paraná descarta projeto alternativo e mantém Faixa de Infraestrutura

por Redação JB Litoral
04/02/2020 21:52 (Última atualização: 28/02/2020)

Foto: Divulgação

Na segunda-feira (03) pela manhã, representantes do Governo do Estado, Ministério Público, Organizações não Governamentais (ONGs) ligadas ao meio ambiente e da população de Pontal do Paraná se reuniram, na sede da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, em Curitiba, para discutir o projeto da Faixa de Infraestrutura no litoral.

Durante a última reunião para tratar sobre o projeto alternativo à faixa, apresentado pela ONG Observatório Justiça e Conservação, em 2019, o Secretário Marcio Nunes colocou em pauta a necessidade efetiva da construção de uma estrada ligando Praia de Leste a Pontal do Sul e, logo após, qual seria a melhor alternativa para fazê-la. Nos dois assuntos, a maioria dos votos se deu a favor da construção da estrada, e por meio do projeto original, apresentado ainda durante a gestão do ex-governador Beto Richa (PSDB), em 2015.

Foram mais de oito meses de reuniões para tratar sobre o assunto polêmico e amplamente discutido por ambientalistas contrários à execução do projeto original, uma vez que o impacto ambiental causado abrirá uma clareira em um trecho de Mata Atlântica preservada. A Faixa de Infraestrutura prevê a construção de uma nova estrada paralela à PR-412, e conta com rodovias, canal de macrodrenagem, linhas de transmissão e outras intervenções. O custo estimado da obra é de R$ 270 milhões.

"Faixa

A nova rodovia será chamada PR-809, localizada entre a PR-407 e Pontal do Sul. Além disso, também é planejada a implantação e reforma de quatro acessos rodoviários entre as PRs 809 e 412, nos balneários Santa Terezinha, Ipanema, Shangri-lá e Atami e a execução de cinco viadutos e quatro pontes.

De acordo com o Secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes, o governo tem segurança técnica e jurídica para a realização do empreendimento. “Sempre teve uma discussão muito grande se ali vai ter um porto ou não, se for para a região portuária fazer as obras de retroporto, nós vamos cobrar medidas compensatórias para que elas possam ser utilizadas para melhorar a vida do entorno da população daquela cidade”, disse em entrevista à imprensa.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Pá de cal no projeto alternativo

O Presidente da Associação Comercial e Industrial de Pontal do Paraná (ACIAPAR), Ércio Weschenfelder, que é, também, o criador do Fórum Salve Pontal do Paraná e a Ilha do Mel, comemorou o resultado da reunião. “De certa forma, foi colocado uma pá de cal em cima do projeto alternativo, ele foi enterrado, definitivamente. O governo assumiu de vez que realmente vai dar prosseguimento ao projeto inicial da Faixa e deixou claro que as ONGs não participam mais desse debate, que será entre o governo e o Ministério Público daqui pra frente”, afirmou.

Para ele, que também participou do debate, o povo pontalense teve uma vitória. “Desde 2012 sonhamos com uma estrada que ligasse Praia de Leste à Pontal, uma nova opção para acabar com os congestionamentos gigantes de final de ano, até porque uma pessoa que sai do balneário de Pontal do Sul, demora até cinco horas para chegar a Praia de Leste. Se estiver doente em uma ambulância, provavelmente morrerá antes de chegar ao destino, se não for removido por helicóptero. Consideramos uma vitória porque definitivamente tirou do debate qualquer proposta que não seja a Faixa de Infraestrutura”, disse.

"Presidente

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments