Paranaguá

Homem responsável pela falsificação de lacres é preso pela PF em Curitiba

Por Diogo Monteiro
11/04/2022 16:43 |
Atualizado em 09:45

Dando seguimento no combate ao tráfico internacional de drogas, na última semana a Polícia Federal deflagrou a Operação Kamino, com foco na repressão a organizações criminosas dedicadas a enviar cocaína para o exterior, a partir do Terminal de Contêineres de Paranaguá. Na ação, deflagrada na terça-feira (5), foram cumpridos três mandados de busca e apreensão em Curitiba e Colombo, expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba.

De acordo com a PF, os acusados agiam na falsificação dos lacres dos contêineres, o que facilitava a contaminação das unidades com bolsas carregadas com cloridrato de cocaína, que eram colocadas no sistema rip-on/rip-off, sem o conhecimento do proprietário da carga. A ação é um desdobramento da Operação Enterprise.

As investigações apontaram que os traficantes recebiam informações sobre a movimentação e posição das unidades armazenadas no TCP, que já haviam passado pela fiscalização e que teriam a Europa como destino final. Para armazenar a droga, os lacres originais eram rompidos e substituídos por lacres falsos, fazendo com que a contaminação passasse despercebida.

Durante as buscas, foram apreendidos lacres falsos e insumos utilizados na falsificação como ácidos, lixas e telas de serigrafia. No andamento da operação, um homem foi preso em flagrante por receptação qualificada. Com ele, foi apreendida uma motocicleta com alerta de roubo, além de ferramentas para a falsificação de placas automotivas e renumeração de chassis.

Operação Kamino

De acordo com a Comunicação Social da Polícia Federal, o nome da operação faz alusão ao Episódio II da série Star Wars, em que há um planeta chamado Kamino, onde habitava uma civilização que desenvolveu uma avançada técnica de clonagem, tal como como o fez a organização criminosa investigada, que dependia da incessante clonagem de lacres de contêineres para o êxito de suas atividades.

Confira o material divulgado pela Polícia Federal.