Imprensa de Paranaguá veste luto com a morte de Dolly Polasek

por Redação JB Litoral
08/01/2019 15:20 (Última atualização: 08/01/2019)

Jornalista deixou um legado de fotografias e textos na imprensa.

Jornalista que, nos últimos anos, vinha se dedicando mais à arte da fotografia que ao seu jornalismo crítico e criterioso, Dolly Polasek, que faria 67 anos na terça-feira (08), faleceu no sábado (05) e abriu uma coluna na história da imprensa de Paranaguá.

Depois de passar pela extinta escola normal de Paranaguá e pelo renomado Colégio Diocesano Leão XIII, se formou em Comunicação Social – Jornalismo, na Faculdade de Comunicação Hélio Alonso.

Catarinense de Porto União tinha adotado Paranaguá como sua cidade do coração e, aqui, atuou na Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) e foi assessora de imprensa nas gestões dos Prefeitos Carlos Antonio Tortato e Mário Manoel das Dores Roque.

Inovou ao criar o portal de fotografia que se tornou bastante popular nos primeiros passos das redes sociais, www.sempalavras.com.br.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

No dia 30 de novembro de 2015 ficou viúva, após a morte de Edmundo Guimarães, que atuava ao seu lado no site Sem Palavras. Após isto, adotou a Ilha de Superagui como moradia, de onde realizou milhares de fotografias retratando o dia de pessoas humildes e sua maneira simples de viver.

Em outubro do ano passado, Dolly sofreu queimaduras e teve 47% do corpo comprometido em um acidente doméstico. Ela passou por cirurgia para retirada do tecido necrosado. Ela foi velada na Capela Municipal e sepultada no domingo às 15h30.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments