Jovem que matou namorada é condenado a 12 anos de prisão

por Redação JB Litoral
06/02/2020 17:42 (Última atualização: 28/02/2020)

Foto: Reprodução Facebook

Na última quarta-feira, 5, o Tribunal do Júri de Paranaguá condenou Bruno Patrick Gonçalves Simonato, 20 anos, acusado de matar a namorada Renata Lopes Cordeiro, 24, com um tiro no rosto, a 12 anos de reclusão pelo crime de homicídio com a aplicação da qualificadora atinente ao feminicídio.

Segundo a mãe da vítima, Marilda Souza Lopes Cordeiro, o júri presidido pela Drª. Cíntia Graeff decidiu unanimemente pela condenação do jovem. “Se os jurados não votassem pelo crime de feminicídio o Bruno seria solto no mesmo dia. Os jurados estão de parabéns, a decisão foi unânime”, disse.

O crime aconteceu no dia 23 de junho de 2017, por volta das 5 horas da manhã. Bruno e Renata chegaram de uma festa e iniciaram a discussão na casa onde moravam com a mãe do rapaz, na Vila Ruth, em Paranaguá. De acordo com Marilda, o casal estava junto há aproximadamente um ano e existia muito ciúmes entre eles. “Quando eles estavam em casa não brigavam, mas quando iam para a balada sempre rolava ciúmes de ambas as partes e acabavam se desentendendo”, contou Marilda.

Relacionamento de Bruno com a família da vítima

A mãe de Renata ainda comentou sobre a relação de Bruno com a família dela. “A relação dele com a nossa família era normal, até porque não tínhamos muito contato. Quando ele vinha na minha casa, conversávamos bem pouco. Ele ficava mais na casa dela”.

Questionada sobre a audiência, Marilda disse que ficou satisfeita com o resultado. “Eu já sabia que ele pegaria 12 anos, pois na época ele era menor de 21 anos, mas achei o resultado ótimo”.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

“Eu não sei o que eu sinto por ele hoje. Só sei que minha vida mudou completamente desde que minha filha se foi. Eu ia nas festas da família e me sentia feliz, agora […] não sinto mais essa felicidade”.

A mãe da jovem salienta a importância da neta, filha de Renata, e toda a família. “O que me conforta é um pedaço dela que ela me deixou (neta), além dos meus três filhos que são muito presentes na minha vida. Eu os amo muito”, completou.

Prisão

Bruno foi preso na manhã do dia 27 de junho de 2017, pela Polícia Civil, através da 1ª Subdivisão Policial (SDP) de Paranaguá. No momento da prisão, o jovem estava na casa do pai dele, no Parque Agari, em Paranaguá.

Após a audiência, o jovem foi encaminhado para a Casa de Custódia de Piraquara onde cumprirá a pena em regime fechado.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments