OGMO esclarece implantação de quatro escalas de trabalho

por Redação JB Litoral
14/01/2021 19:43 (Última atualização: 15/01/2021)

A partir desta sexta-feira (15), os Trabalhadores Portuários Avulsos (TPA’s) de Paranaguá contarão com mais duas escalas de trabalho. A mudança foi implantada pelo OGMO – Órgão Gestor de Mão de Obra. 

Atualmente, são duas escalas: 06h30 e 18h30. A partir de amanhã serão quatro: 06h30, 12h, 18h30 e 22h30, sendo a habilitação realizada de forma remota (on-line).

OGMO esclarece implantação de quatro escalas de trabalho 2

Em entrevista ao JB Litoral, a diretora-executiva do Órgão, Shana Carolina Bertol, explicou o motivo da implementação. “A alteração foi motivada buscando melhoria contínua na gestão da mão de obra e na viabilização das operações portuárias. Isso porque, muitos trabalhadores demostravam insatisfação quando eram escalados para trabalhar em navios que por alguma razão, como por exemplo: chuva, término de navio, quebra de equipamento, falta de liberação de carga, etc, acabavam recebendo salário-dia ao invés de produtividade”. 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Segundo Shana, as quatro escalas trarão flexibilidade na habilitação. “Com as quatro eles terão uma melhor previsibilidade de suas escalas, minimizando engajamentos em períodos sem produtividade. Além disso, haverá redução de ocorrência de ‘queima da vez’ quando tiver sido escalado em uma lista boa que não tenha produtividade no período, flexibilidade na habilitação, quando o TPA esquece ou perde o horário da habilitação, possibilitando habilitação para o período seguinte sem precisar esperar 12 horas, dentre outras”. 

Resistência dos sindicatos  

Após o OGMO comunicar os sindicatos, houve certa resistência por parte de alguns diretores. “Apesar da resistência, em reunião realizada no dia 12 de janeiro de 2021, não foi demonstrado nenhum motivo concreto de prejuízo aos trabalhadores.  Sabemos que o novo assusta um pouco, mas são evidentes os benefícios para todos. Por esse motivo, em 45 dias haverá uma nova reunião com os sindicatos para identificar hipóteses de melhorias no modelo aplicado e possíveis alterações ”, completou a diretora.  

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments