Território Animal

ONU recomenda a proibição da pesca de tubarões em todos os oceanos

Por Caio Fernandes
19/04/2021 13:54 |
Atualizado em 20:49

Por Caio Fernandes

PNUMA – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente é a principal autoridade ambiental global que determina a agenda internacional sobre o meio ambiente, promove a implementação coerente da dimensão ambiental do desenvolvimento sustentável e serve como autoridade defensora do meio ambiente no mundo. Em plenária coordenada na sede da ONU, em Nova York, foi proposta, discutida e adotada medida que reconhece o papel ecológico dos elasmobrânquios (raias, tubarões e quimeras) e sua importância para o perfeito equilíbrio dos mares e oceanos, fonte primordial de oxigênio, fixação de carbono e mantenimento da temperatura média em todo o planeta. Sendo assim, foi recomendada a proibição da pesca de toda e qualquer espécie de elasmobrânquios no planeta pelos próximos 50 anos, salvo estudos que mostrem que as populações dessas espécies estejam recuperadas a níveis saudáveis e seguros para a pesca. É claro que isto inclui a proibição total do FINNING (pesca de tubarões somente por causa das barbatanas, descartando o resto do corpo do animal vivo de volta ao mar).

Populações diminuíram 71% nos últimos 50 anos

A população global de tubarões e raias caiu 71% nos últimos 50 anos, segundo indica uma pesquisa liderada pela Universidade Simon Fraser, no Canadá. O estudo, publicado na revista Nature, é o primeiro a considerar o cenário global para esses animais e revela que, atualmente, muitas espécies estão em risco de extinção. A estimativa baseou-se em novos dados sobre as 31 espécies de tubarões e raias oceânicas que figuram na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), também foram consideradas informações sobre a pesca e o mercado. Embora tubarões e raias possam ser afetados por ataques de navios, perfuração de petróleo e gás e, cada vez mais, pela crise climática, a pesca foi a principal causa do declínio. Uma boa parte dos tubarões são mortos sem intenção por pescadores que usam redes para capturar outras criaturas marinhas. Entretanto, as barbatanas desses animais são consideradas iguarias em algumas partes do mundo e, por isso, alguns pescadores caçam tubarões, cortam suas barbatanas e os lançam ao mar, ainda vivos.

Por que devemos preservar os tubarões ?

Infelizmente, a fobia coletiva continua contribuindo para que a sociedade não se preocupe com a pesca predatória e o consumo insustentável dos tubarões. Atualmente, cerca de 100 milhões de tubarões são capturados e mortos a cada ano em todos os mares. Proibições de captura, baseadas na ciência, são urgentemente necessárias para evitar o colapso da população e as disfunções ecológicas, além de promover a recuperação das espécies. Preservar é interessante para os próprios pescadores, porque os tubarões e raias estão no topo da teia alimentar marinha, o que os torna muito importantes para a manutenção dos ecossistemas dos quais a economia pesqueira depende.

#ConsulteSempreUmBiólogo