Para cada 1003 casamentos ao ano, ocorrem 427 separações em Paranaguá

por Redação JB Litoral
29/07/2015 09:00 (Última atualização: 28/07/2017)

NULL

O relacionamento humano é uma das bases da sociedade e isso não poderia ser diferente em Paranaguá. Apesar disso, números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) demonstram que o município é uma terra de “amor e ódio”, visto que, segundo as estatísticas, Paranaguá apresenta um índice maior de divórcios do que o do Paraná e o do Brasil, ou seja, o índice de aproveitamento de casamentos está abaixo da média em solo parnanguara. 

Segundo o IBGE, anualmente há em Paranaguá um total de 1003 casamentos realizados, o que envolve um total de 2006 pessoas que decidem se unir “na alegria e na tristeza, na saúde e na doença”. Apesar disso, o outro lado da moeda apresenta um número alto de divórcios no município: 427 relacionamentos que não deram certo oficialmente. Levando para a porcentagem, o índice de aproveitamento do casamento em Paranaguá é de cerca de 57%, abaixo da média 6,0.

Para se chegar à conclusão de que o índice de divórcios é alto em Paranaguá, basta comparar com os números do Paraná e do Brasil. Em todo o estado, anualmente ocorrem 60.991 casamentos, enquanto a ocorrência de divórcios é de 14.408. Já no Brasil ocorrem 917.344 uniões oficiais e uma estatística de 211.622 divórcios. A comparação, demonstra que o município de 367 anos está acima da média de divórcios no país e no estado pode ser vista no gráfico abaixo: [tabelas]

Antonina está a frente de Paranaguá

Enquanto Paranaguá apresenta um índice alto de divórcios, a vizinha Antonina demonstra estar com “sorte no amor”, algo comprovado com o fato de que anualmente 127 casamentos são realizados no município, enquanto ocorrem apenas 17 divórcios. Já a irmã litorânea Morretes apresenta um índice maior de divórcios anuais: 12 para cada 75 casamentos realizados. Apesar disso, as duas demonstram estar com mais aproveitamento nos relacionamentos do que Paranaguá.

Divórcio sem complicação com nova lei

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Um dos motivos para o aumento de separações é a Lei 11.441, de 2007, que facilita a dissolução de famílias sem crianças, não trazendo complicações jurídicas que possam estender um relacionamento que não existe mais. “O casamento não é mais uma definição de vida, é uma tentativa”, diz o psicólogo Joaquim Motta, coordenador do Grupo de Estudos sobre o Amor de Campinas. De acordo com ele, a pessoa melhor preparada para o casamento é também a mais pronta para o divórcio: autônoma e independente, mas que naquele momento escolheu estar na companhia do outro. Ou seja, hoje em dia, para ficar junto, é necessário amor de verdade que faça valer a pena seguir em união, seja em Paranaguá ou em todo o Brasil.

 

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments