Paranaguá bate a meta de exames preventivos no ‘Outubro Rosa’

Foram realizados 1.044 exames clínicos de mama e coleta de preventivos para câncer de colo de útero.

por Redação JB Litoral
01/11/2014 11:17 (Última atualização: 01/11/2014)

NULL

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Paranaguá divulgou, na tarde desta sexta-feira (31), o balanço da campanha ‘Outubro Rosa’, que fomenta a conscientização sobre o câncer de mama e câncer de colo de útero. De acordo com a Secretaria, a cidade superou a meta – que era de 1 mil exames preventivos – e realizou 1.044 exames do tipo Papanicolau e exame clínico de mamas, dois procedimentos importantes na detecção precoce do câncer de colo de útero e mama, respectivamente.

No ano passado, na mesma campanha, foram realizados 912 exames.

De acordo com Juliana Rocha, enfermeira do Programa Saúde da Mulher, foram realizadas 10 palestras em empresas e bairros da cidade, o que também ajudou a fortalecer a campanha e aumentar o resultado expressivo de mulheres que procuraram atendimento neste mês.

A secretária municipal de Saúde, Drª. Terezinha Flenik Kersten, explica que várias unidades de saúde funcionaram com horário diferenciado para atendimento às mulheres. “Batermos a meta é consequência das campanhas que foram feitas por nós e por outros organismos e da disponibilidade de algumas unidades funcionarem até mais tarde, justamente para atender às mulheres que trabalham em horário comercial e que só poderiam fazer o exame depois que chegassem em casa”, disse.

Câncer de mama
Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, excluídos os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o mais incidente em mulheres de todas as regiões, exceto na região Norte, onde o câncer do colo do útero ocupa a primeira posição. Para o ano de 2012 foram estimados 52.680 casos novos de câncer nas mamas, que representam uma taxa de incidência de 52,5 casos por 100.000 mulheres.

A taxa de mortalidade por este tipo de câncer, ajustada pela população mundial, apresenta uma curva ascendente e representa a primeira causa de morte por câncer na população feminina brasileira, com 11,3 óbitos/100.000 mulheres em 2009 – último ano de dados coletados.
As regiões Sudeste e Sul são as que apresentam as maiores taxas, com 12,7 e 12,6 óbitos/100.000 mulheres em 2009, respectivamente.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A estimativa de mortalidade em 2012 e 2013 é a mesma de 2009 para todos os dados.

Colo do útero
Com aproximadamente 530 mil casos novos por ano no mundo, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais comum entre as mulheres, sendo responsável pelo óbito de 275 mil mulheres por ano.

No Brasil, em 2012, a estimativa era de 17.540 casos novos, com um risco estimado de 17 casos a cada 100 mil mulheres. Em 2009, esta neoplasia representou a terceira causa de morte por câncer em mulheres com 5.063 óbitos, representando uma taxa bruta de mortalidade de 5,18 óbitos para cada 100 mil mulheres.

Na análise regional no Brasil, o câncer do colo do útero se destaca como o primeiro mais incidente na região Norte, com 24 casos por 100.000 mulheres. Nas regiões Centro-Oeste e Nordeste ocupa a segunda posição, com taxas de 28/100 mil e 18/100 mil, respectivamente, e é o terceiro mais incidente na região Sudeste (16/100 mil) e quarto na Sul (14/100 mil).

Quanto à mortalidade, é também a região Norte que apresenta os maiores valores do país, com taxa padronizada pela população mundial de 10,1 mortes por 100.000 mulheres, em 2009. Em seguida estão, neste mesmo ano, as regiões Centro-Oeste e Nordeste (5,9/100 mil), Sul (4,2/100 mil) e Sudeste (3,6/100 mil).

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments