Destaques

Ponto de táxi na Ilha dos Valadares gera críticas de moradores

Por Redação JB Litoral
24/07/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

A inauguração de um ponto de táxi ao lado da Praça Ciro Abalém, na Ilha dos Valadares, com duas vagas, gerou uma onda de protestos nas redes sociais por parte dos moradores da localidade. O perfil “Proteste Valadares” postou um texto crítico ao fato, afirmando que, tal fato faz parte do “programa de desmobilidade urbana” para o Valadares, visto a condição precária das ruas do local, que, segundo os moradores, não aceitam a passagem de taxis. Ainda segundo o perfil, nenhum morador foi consultado sobre a necessidade de um ponto de táxi, criticando os vereadores da Ilha dos Valadares, que não procuraram dialogar com a população.

A publicação, que teve mais de 60 compartilhamentos na rede, com tom “ácido”, afirma que trazer um ponto de táxi ao Valadares é algo pequeno perto de toda a necessidade de mudanças em prol de uma maior mobilidade urbana na Ilha. Segundo o perfil, há a necessidade de uma “pavimentação adequada para incentivar o uso de bicicletas, serviço de moto táxi, micro-ônibus estilo jardineira para circular dentro da Ilha com tarifa acessível – só para citar alguns exemplos”. Com deboche, o perfil público afirma que a sinalização de trânsito é precária na localidade, criticando o fato de que os taxis na Ilha podem querer transitar em alta velocidade em locais que não comportam isso.

Criticando o fato de que para a inauguração de um ponto de táxi foi criado um evento pela Prefeitura, o perfil afirma que a decisão foi a mais fácil, e não a mais estudada para resolver os problemas de tráfego no Valadares. “Considerando que a Ilha não tem pavimentação em todo seu perímetro e que as vias que possuem “blocos” estão precários de manutenção, estima-se que uma viagem possa custar até 50% acima do valor praticado no mercado”, afirma o perfil.

Insulanos comentam

A usuária do facebook, Zuleide dos Santos, criticou a inauguração do ponto, afirmando que tal fato ficará para “uma nova campanha eleitoreira”, criticando a ausência de sinalização na Ilha e a ausência de lombadas. Andriely Barbosa Fernandes comentou de forma irônica que a Ilha dos Valadares estava ficando “chique”, porém para isso é necessário pagar o táxi, afirmando que “isso é uma palhaçada”. Apesar das críticas, a usuária Eliane Miranda afirma que espera que o ponto “funcione como é para funcionar, pois teremos que pagar do mesmo jeito”.

Karina Cristina Ribeiro afirma que o ponto de táxi é bom para “aqueles enfermos que precisam de transporte, pois o carro do SUS não busca paciente na ilha”, critica. Apesar disso, ela afirma que irá utilizar o serviço de táxi, por ser uma comodidade aos insulanos, por não precisam “andar a pé”. A vinda de um ponto de táxi para a Ilha dos Valadares faz parte de um processo feito pela Prefeitura para o aumento de taxis em Paranaguá. 15 novos taxis estão circulando pelo município, com a novidade de um ponto no Valadares e a vinda de um carro adaptado para cadeirantes.

Os novos permissionários taxistas foram sorteados com presença do secretário de serviços urbanos, Carlos André Fonseca Griguç, dos novos permissionários e de membros da Associação dos Taxistas de Paranaguá, tudo isso no final de maio, com a intenção de dar um processo transparente ao processo.

Segundo o que consta no site da Prefeitura há uma preocupação com a segurança dos veículos, com vistoria e obrigação que eles possuam “air bags” na frente e atrás do carro. Com os novos 15 permissionários, Paranaguá passa a ter 137 táxis, distribuídos em 20 pontos. Eles são inspecionados anualmente, para que os usuários possam contar com o máximo de conforto e segurança. Também passam por inspeção anual outros veículos que fazem o transporte coletivo no município, como vans e ônibus. 

Apesar da preocupação com a segurança interna dos táxis, a nota feita pela prefeitura com relação aos novos pontos de táxi, onde consta o ponto da ilha, não há informação se houve um estudo técnico para analisar se o tráfego de táxis nas ruas do Valadares pode ser feito, assim como se isso iria afetar o trânsito no local. Apesar disso, diariamente veículos trafegam na Ilha, a travessia desses carros do continente para a Ilha, ou vice-versa, deve ser feita por balsa, visto que é proibido a passagem de veículos pela passarela da Ilha, algo que deverá ser estendido aos táxis.

*Com informações da Prefeitura Municipal