Porto de Paranaguá estuda melhorias nas operações de fertilizantes

por Redação JB Litoral
14/05/2015 19:00 (Última atualização: 14/05/2015)

NULL

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) reuniu operadores e importadores para discutir ações que possam dar ainda mais rapidez para os processos de desembarque de fertilizantes e transporte até os armazéns. Na reunião, os representantes das empresas também avaliaram alguns investimentos recentes feitos nos portos.

Nos quatro primeiros meses de 2015, já foram importadas 2,7 milhões de toneladas de fertilizantes. No fechamento do ano de 2014, as importações registraram alta de 5% em relação ao ano anterior, com um total de 9,2 milhões de toneladas. O Porto de Paranaguá é o líder nacional no desembarque do produto.

Uma das propostas é que o berço 208 seja usado exclusivamente para fertilizantes assim que sejam concluídas as obras de reforço daquela área do cais – atualmente ele é usado para cargas gerais e é um berço alternativo para importações de graneis. Hoje, existem dois berços exclusivos para a importação de fertilizantes no Porto de Paranaguá, além de outros seis alternativos para a mesma finalidade.

Segundo o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, o objetivo da reunião é ouvir dos usuários e operadores quais são as melhores soluções para tirar melhor proveito da atual estrutura do porto. “Trabalhamos para que a operação pelos portos paranaenses seja cada vez mais barata e vantajosa para os usuários”, explica.

Além da produtividade na descarga dos fertilizantes, o grupo também discutiu soluções para diminuir o tempo de transporte entre o cais e os armazéns.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

MELHORIAS – Os operadores também elogiaram algumas iniciativas recentes. O pátio de triagem para que os caminhões sejam limpos e preparados para o carregamento de fertilizantes foi uma das ações mais festejadas pelos operadores.“Era algo que Paranaguá precisava para melhorar a segurança dos caminhoneiros enquanto aguardam o frete de retorno e para deixar a cidade mais limpa, com um local adequado para retirar o resto de grãos que sobram na carroceria”, afirma o diretor da Rocha Top, Rivadavia Simão.

Cerca de 20 mil toneladas de resíduos por mês são recolhidos no pátio.

A instalação das balanças de pré-pesagem também foi apontada como uma iniciativa que deu rapidez à operação. “O desembarque ganha tempo, sem a necessidade de dupla pesagem do caminhão. Com isso, o gargalo da entrada do caminhão na faixa foi resolvido”, afirma o diretor da Harbor Operadora Portuária, Valmor Felipetto.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments