Portos de Paranaguá e Antonina terão manual de fiscalização

A medida foi anunciada pelo diretor da Antaq, Adalberto Tokarski, em sua primeira visita aos portos paranaenses.

por Redação JB Litoral
21/02/2015 09:00 (Última atualização: 21/02/2015)

NULL

A Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) vão elaborar um manual de fiscalização da estrutura, cumprimento de regras e operações dos portos do Paraná. A ideia é antecipar eventuais problemas e melhorar cada vez mais os serviços portuários.

A medida foi anunciada pelo diretor da Antaq, Adalberto Tokarski, em sua primeira visita aos portos paranaenses. A ideia de Tokarski é estreitar as relações entre a agência e as administrações portuárias, conhecendo as virtudes e necessidades de cada porto.

Os portos de Paranaguá e Antonina são muito importantes para a economia brasileira, com uma atuação fundamental para a entrada de fertilizantes e escoamento da safra nacional, afirmou Tokarski.

O manual será usado para estabelecer padrões de operação e respaldar a regulamentação de novas normas a serem cumpridas. Nos últimos três anos, a Appa revisou ou regulamentou mais de 20 normas.

Algumas delas foram citadas como exemplares por Tokarski, como a regulamentação dos procedimentos de programação de navios e caminhões.

“Desta forma, há três anos eliminamos a fila de caminhões no acesso à Paranaguá e diminuímos o tempo de espera de navios com carga programada”, afirmou o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

VISITA – A reunião foi acompanhada de uma visita detalhada das instalações do porto, na qual foram apresentados os projetos de expansão da estrutura portuária e as recentes reformas promovidas no cais.

Além disso, os representantes da Antaq foram apresentados às evoluções de produtividade e melhoria no desempenho dos portos paranaenses. Um dos exemplos é o salto no atendimento na prancha padrão de fertilizantes, que em 2011 atendia 11% da sua capacidade total de 6 mil toneladas por dia e em 2013 e 2014 passou a atender mais de 70% da capacidade.

Novas visitas técnicas serão feitas nos próximos meses.A ideia é que a agência esteja bastante presente nos principais portos do Brasil”, disse o chefe da regional da Antaq em Paranaguá, Fabio Geannini.

A reunião contou com a presença de representantes do Conselho de Autoridade Portuária do Porto de Paranaguá (CAP), do Conselho Nacional de Agricultura (CNA), da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments