Portos do Paraná investem mais de R$ 9 milhões em reforma nos trapiches da Ilha do Mel

Os trapiches foram instalados há 20 anos e sofrem com a ação do tempo e da maresia, causando riscos para as pessoas.

por Redação JB Litoral
27/02/2020 18:53 (Última atualização: 29/02/2020)

Foto: José Fernando Ogura/AEN

Na tarde desta quinta-feira, 27, o governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou a ordem de serviço para o início das obras de reforma e melhorias nos trapiches de Nova Brasília e Encantadas, na Ilha do Mel, em Paranaguá. O ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou da solenidade. O investimento de R$ 9,5 milhões é da empresa pública Portos do Paraná. As obras devem demorar cerca de sete meses.

Os trapiches foram instalados há 20 anos e sofrem com a ação do tempo e da maresia, causando riscos para as pessoas. Eles serão recuperados, reforçados e ampliados. As estruturas vão receber nova iluminação, rampas acessíveis, lixeiras, coberturas, entre outras benfeitorias para a segurança da comunidade e dos visitantes.

Também ganharão novo sistema elétrico de iluminação, sistema de drenagem, novos dispositivos de segurança e sinalização, de acordo com a revisão mais recente das Normas da Autoridade Marítima para Auxílios à Navegação, e dispositivos de acessibilidade (flutuantes) e de auxílio à atividade pesqueira, como estruturas para amarração de embarcações (cabeços). Terão bancos de espera, proteção lateral para segurança e cobertura.

Governador, Ministro e Secretário

Ratinho Junior destacou que a Ilha do Mel é um cartão-postal do Paraná e que nunca teve tratamento adequado do poder público em termos de acessibilidade e infraestrutura. “Transformar essa realidade é uma das prioridades do Estado. Vamos deixar trapiches extremamente modernos, com segurança. Temos um grande pacote de investimentos para a Ilha do Mel, dentro do conceito de turismo sustentável. Queremos buscar mais turistas e atender melhor os moradores”, afirmou Ratinho Junior.

Ele também disse que o Estado desenvolve ideias em parceria com os barqueiros para modernizar a travessia e citou a entrega de duas estações de recolhimento de resíduos sólidos e os projetos de tratamento de esgoto e de dragagem, que estão em andamento. “O turista quer infraestrutura adequada. A maior vocação do Litoral é o turismo, e o que mais vai crescer é o turismo de natureza. O Paraná é o Estado que mais tem potencial nessa área. Temos um grande pacote de obras para transformar a realidade do Litoral”, complementou.

O ministro da Infraestrutura disse que o potencial turístico da Ilha do Mel é imenso e que a integração entre o porto e as comunidades litorâneas é um exemplo para o País. “Esses recursos serão indutores do desenvolvimento sustentável e vão potencializar a região. Todos os brasileiros deveriam conhecer esse lugar”, afirmou Tarcísio Gomes de Freitas. Foi a primeira vez que um ministro, no exercício do cargo, visita a praia de Encantadas.

Márcio Nunes, secretário de Desenvolvimento Sustentável e Turismo, disse que os trapiches são parte de uma programação muito extensa de obras na Ilha do Mel. “O que faltava era esse olhar diferenciado. Estamos dando condições melhores para os serviços, hospedagem, destinação dos resíduos. Temos as águas mais limpas do País e queremos turistas o ano todo. A Ilha do Mel está muito perto de grandes conglomerados urbanos como Curitiba, Ponta Grossa e São Paulo, temos que aproveitar essa localização estratégica e a sua beleza natural”, complementou.

Empresa responsável pela obra

A empresa que vai realizar as obras é a Construtora AJM Eireli, vencedora da licitação. Como exigido pela Portos do Paraná, serão aplicados materiais duráveis.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O certame foi realizado em novembro. A empresa pública Portos do Paraná recebeu propostas de cinco empresas. Vencidos os prazos de recurso, julgamento e homologação do resultado, este foi divulgado em diário Oficial do último dia 10 de fevereiro. A autorização ambiental foi emitida pelo Instituto de Água e Terra (IAT) no dia 7 de janeiro. A contratação inclui o fornecimento de todo o material, mão de obra, equipamentos e ferramentas, além da destinação final dos materiais que não forem reaproveitados na obra.

Luiz Fernando Garcia, diretor-presidente dos Portos do Paraná, também enfatizou que os investimentos ajudam a melhorar a vida do Litoral. “Estrutura de primeira linha, inclusive para receber navios maiores de passageiros. É um momento histórico, uma primeira grande ação na infraestrutura das comunidades que vivem em função do turismo”, afirmou.

Compromisso assumido em 2017

A construção dos trapiches é parte do compromisso assumido pela administração dos Portos do Paraná como uma das condicionantes do Ibama para a emissão da Licença de Instalação (1144/16) da dragagem de aprofundamento, realizada em 2017. Naquele ano, a então Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa) definiu, junto à comunidade, os trapiches e locais que seriam beneficiados. Um documento assinado pelo Ministério Público do Paraná e avalizado pelo Ibama formalizou o acordo.

Em 2018, foi definido o Termo de Referência e, em dezembro daquele ano, o projeto executivo. Em março de 2019, o consórcio vencedor da licitação deu início aos projetos das obras e em julho eles ficaram prontos.

Segundo Daniel Anzoategui, presidente da Associação dos Barqueiros da Travessia da Ilha do Mel, que reúne cerca de 23 proprietários e 30 empresários da ilha, os investimentos nos trapiches e em dragagem vão aumentar a qualificação do negócio. “As benfeitorias não ficaram só nas promessas. Os trapiches melhorarão a segurança dos turistas e da comunidade, além da dragagem, que facilita as operações de navios maiores”, pontuou.

Os atuais trapiches repercutem mal para a Ilha do Mel em função das estruturas debilitadas e antigas, avalia Gilberto Espinoza, dono de uma pousada há 24 anos na praia de Encantadas. “Essa ação é muito bem-vinda. A Ilha do Mel é um dos cinco destinos que as pessoas recebem dos operadores de turismo para visitar no Sul do País. Queremos qualificar o turismo, agregar serviços e melhorar a oferta de possibilidades na região nos próximos anos.”

Com informações da AEN