Prefeito não sabe de tudo, mas tem que resolver!

por Redação JB Litoral
02/03/2015 14:00 (Última atualização: 02/03/2015)

Canceladas efetivamente as duas licitações milionárias, que também envolviam compras de sacos de lixo e papel sulfite A-4, uma nova denúncia do JB mostra que a prefeitura comprou uma caminhonete Amarok mais cara que o preço ofertado ao consumidor no mercado.

Infelizmente a ponta do novelo sempre fica nas mãos do prefeito Edison de Oliveira Kersten (PMDB), o que não significa que ele tenha conhecimento destas situações que ocorrem na prefeitura. Afinal, não tem como saber de tudo, mas ele nomeia pessoas de sua confiança, ganhando muito bem, para que sejam seus olhos e ouvidos nas secretarias, superintendências e departamentos. Quando ele não sabe, mas é alertado por vereadores, imprensa e Ministério Público, sua obrigação é resolver, como fez com estas duas licitações. Agora, terá que levantar o que ocorreu com a compra da Amarok. Vale ressaltar que, em todas as reportagens envolvendo estas licitações, o JB, em momento algum disse haver irregularidade e limitou-se a fazer o levantamento numérico e financeiro na quantidade de compra de sacos de lixo, papel higiênico e sulfite e comparou com o que é praticado no comércio aos consumidores. O mesmo ocorreu com a Amarok, onde mostramos existir veículo semelhante sendo vendido no mercado por R$ 109 mil quando a prefeitura pagou R$ 161 mil. Cabe, agora, ver se algo ocorreu de errado ou não e quem foram os responsáveis. Afinal de contas, se não houvesse a denúncia do JB a compra seria efetivada.
Lendo uma postagem da primeira-dama Dra. Terezinha Kersten nas redes sociais no último sábado, fiquei intrigado com sua afirmação que, tão logo o prefeito soube da história da Amarok, (certamente na terça-feira) ele suspendeu imediatamente a compra. Como isso foi possível se a Amarok já foi comprada e entregue em solenidade oficial?

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Conheço a idoneidade do prefeito desde que fomos testemunhas oculares da agressão ocorrida na prefeitura, quando ele, Edson Veiga e Ogarito Linhares protocolavam pedido de prorrogação do IPTU. Como deu a entender o vereador Wistuba, o prefeito não pode ser penalizado por erros de seus subordinados, por atos que não tem conhecimento. E, de fato, é preciso que se busquem os responsáveis por essas contínuas falhas nas licitações e, se houver erros, que sejam corrigidos e a incompetência, se proposital ou suspeita, penalizada no rigor da lei.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments