Prefeitura pagou produtividade para 159 dos 436 serventes em Paranaguá

por Redação JB Litoral
12/10/2017 21:50 (Última atualização: 12/10/2017)

Advogado considera grave, o possível erro da prefeitura no concurso de 2017

Com a prorrogação do prazo de 90 dias para uma análise mais profunda, pela Câmara Municipal, da Mensagem 29 que afetará diretamente o futuro salarial dos mais de quatro mil servidores municipais, o pagamento do mês setembro mostrou que 63,54%, da categoria de menor salário da Prefeitura de Paranaguá, sofre com a falta de isonomia no que diz respeito ao benefício da produtividade.

Um levantamento minucioso realizado pelo Jornal dos Bairros, no pagamento do mês de setembro, na função de auxiliar de serviços gerais, conhecido como servente e serviçais, mostrou a existência de dois pesos e duas medidas quando se trata da concessão do benefício da produtividade e a realização de hora extra entre os 436 servidores e servidoras do quadro fixo da administração.

Com um salário-base a partir de R$ 1.282,94, a média salarial líquida recebida pela categoria oscila entre R$ 1.100,00 a R$ 1.600,00, uma minoria consegue chegar a R$ 2 mil e somente uns poucos ultrapassam este valor.

Vantagens, como o recebimento de produtividade e média de produtividade, aliadas à possibilidade e permissão da realização de horas extras de 50% e 100%, neste último algo que chama a atenção por se tratar de uma atividade, cujo horário não possui expediente aos domingos, fazem a diferença no pagamento.

 

A pesquisa mostrou que dos 436 servidores, apenas 159 receberam produtividade ou média de produtividade, um total de 36,46%. Também identificou que somente 109 receberam horas extras e o percentual é menor ainda, deixando de fora 75% dos auxiliares de serviços gerais sem este reforço salarial. Destes 109 servidores, alguns receberam produtividade e hora extra.

Denúncia de desvio de função

Prefeitura pagou produtividade para 159 dos 436 serventes em Paranaguá 1

Mãe da noiva do vice-prefeito recebeu produtividade

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Entre os auxiliares de serviços gerais que ganharam produtividade e tiveram a permissão de fazer horas extras, foi constatado servidores conhecidos na administração municipal atual, como Palmira Andruchewicz, mãe de Monalisa Andruchewicz Filha, que é noiva do Vice-prefeito e Secretário Municipal de Obras Públicas (SEMOP), Arnaldo de Sá Maranhão Junior (PSB). No mês passado, ela passou a média e recebeu líquido mais de R$ 1,7 mil.

Uma servidora, que prefere não se identificar por temer represália, denunciou que muitos dos auxiliares de serviços gerais encontram-se em desvio de função na prefeitura, desempenhando outras atividades que não são inerentes ao cargo.

Nesta semana, a reportagem vai procurar a prefeitura para saber o motivo pelo qual pouco mais de 63% da categoria não recebeu a produtividade em setembro e se a situação se manterá nos próximos meses.

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments