Requião critica monopólio, preço alto e propaganda partidária subliminar

PROGRAMA LAR BENEFICIENTE

por Redação JB Litoral
16/07/2015 19:00 (Última atualização: 16/07/2015)

NULL

Em visita a Morretes, no encontro municipal do PMDB no Clube Cruzeiro Morretes, o senador Roberto Requião (PMDB) criticou o programa chamado de “Lar Beneficiente”, onde a Companhia Paranaense de Energia (Copel) concede, através da gestão do Governador Beto Richa (PSDB), um bônus de 45% para subsidiar a troca de refrigeradores, freezers e lâmpadas usadas por aparelhos similares novos que tenham maior eficiência energética. O programa vem sido alvo de críticas, pelo fato de ser feito exclusivamente pelas Lojas Colombo, e com geladeiras somente da Consul e Brastemp, que são ambas da empresa Whirpool, assim como valores dos eletrodomésticos acima das tabelas da própria loja e pelas cores da campanha, em azul e amarelo, remetendo ao PSDB, partido do governador.

Além do monopólio para a troca dos eletrodomésticos, o fato das peças publicitárias serem nas cores do PSDB, assim como o número do desconto ser de 45%, número do partido tucano, levantam suspeitas de propaganda partidária subliminar. Outra denúncia, feita pelo Blog do Esmael, um dos maiores do Paraná, relatou que os valores da tabela do programa estariam bem acima dos ofertados no site das Lojas Colombo, com diferenças que alcançariam quase a metade do bônus que será pago pela Copel.

Segundo o site, um Refrigerador Frost-Free (2 portas – 405 litros) da marca Consul, modelo CRM51, que no programa está por R$ 2.446,90, pode ser adquirido por R$ 1.958,00 na Loja Walmart, e por R$ 1.979,91 nas Lojas Americanas. Até o momento a Copel não apresentou licitações, pregões ou concorrências públicas que justifiquem o monopólio da loja e das marcas das geladeiras que podem ser adquiridas pelo programa.

Requião afirma que programa já existia

Segundo Requião, o programa já existiu há mais de 10 anos, sendo que anteriormente, em sua gestão como governador, havia a troca de geladeiras velhas por novas às famílias de baixa renda, com desconto alto e pagamento de parcelas baixas de geladeiras às camadas mais desfavorecidas da população anexadas à conta de luz. O que é feito no programa da gestão do PSDB é diferente, onde se oferece 45% de desconto, com os outros 55% custeados pela Copel, porém a compra dos novos eletrodomésticos precisa ser feita exclusivamente nas Lojas Colombo somente com duas opções de marca: Brastemp e Consul.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

A intenção do programa da época de Requião era mesclar a economia de energia elétrica com benefícios às famílias de baixa renda. “Nós pegávamos na casa de uma pessoa que tem uma geladeira velha e dávamos uma geladeira nova paga pela conta do contribuinte e uma parcelinha que dá na conta de fim de mês de cada um. Além disso nós trocávamos lâmpadas”, explica o senador. O atual governo ao invés de dar a geladeira para os mais pobres, que é o correto para nós, fez um acordo com as Lojas Colombo”, critica Requião. ressaltando as diferenças de preços entre as geladeiras vendidas na loja abertamente e as oferecidas no programa da Copel, algo que não concede um desconto justo aos cidadãos, classificando o ato como “um trambique, uma patifaria, a mesma coisa que o raio desse governo está fazendo em tudo em que mete a mão”, comenta.

Ressaltando a necessidade de a justiça social voltar a ser aplicada no Paraná, Requião afirma que todo o dinheiro supostamente roubado na Receita Estadual daria para comprar cerca de 10 mil geladeiras que poderiam ser doadas aos mais pobres, comparando a atual gestão de Beto Richa a “uma quadrilha”. “Nós não temos perfil de governo que aumenta pelo dobro o valor de geladeira e depois dá 45% de desconto e paga esses R$900,00 com dinheiro da nossa conta”, ressalta, afirmando que o atual governo deveria oferecer um eletrodoméstico com consumo menor para as famílias de baixa renda de forma mais justa, com um preço mais acessível e sem monopólio.

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments