Dezoito alunos passam mal com suspeita de intoxicação, em Antonina

Até às 18 horas, o número de alunos havia saltado para 18 crianças

por Redação JB Litoral
16/10/2017 18:06 (Última atualização: 16/10/2017)

????????????????????????????????????

A decisão da Diretora da Escola Municipal Maria Rosa Cecyn, a Professora Neuzicleia Pilar Correa, de servir resto de comida que havia sobrado de um evento da igreja no domingo (15), até às 18 horas desta segunda-feira (16) levou 18 crianças com suspeita de intoxicação alimentar ao Hospital Dr. Sílvio Bittencourt Linhares na cidade de Antonina, administrada pelo Prefeito José Paulo Vieira Azim (PSB).

O Secretário Municipal de Saúde Odileno Garcia Toledo repassou, com exclusividade, ao Jornal dos Bairros a informação de que, por volta das 12h55, algumas crianças chegaram ao hospital com suspeita de intoxicação alimentar. Contudo, o número foi aumentando e, na quarta criança que apresentou o mesmo sintoma, o secretário investigou e descobriu que todas haviam se alimentado na escola, a qual fica localizada no Bairro da Ponta da Pita.

Imediatamente ele acionou a Vigilância Sanitária Municipal para investigar o caso. Após a averiguação descobriu-se que a diretora da escola, trouxe risoto que havia sobrado de um evento ocorrido na igreja no dia anterior e há suspeita de que este pode ter sido o causador da possível intoxicação nos alunos.

O secretário de saúde disse que ela tomou esta atitude por sua conta e risco e assumiu toda a responsabilidade pelo ocorrido.

“Por coincidência o cardápio da escola, de hoje, era justamente risoto”, disse o secretário de saúde

 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Dezoito alunos passam mal com suspeita de intoxicação, em Antonina 2Ele assegurou que todas as crianças estão sob cuidado médico, acompanhadas e devidamente estabilizadas. Todavia, adiantou que quando acontece um surto alimentar é feita uma investigação e uma amostra da comida é recolhida e encaminhada ao laboratório para análise.

A reportagem fez contato com a Secretária Municipal de Educação e Esporte, Dilza Ferrari Carvalho, que chegou de Curitiba e foi direto ao hospital para obter maiores informações do que ocorreu e, assim, poder se manifestar melhor a respeito do assunto.

A equipe do Jornal tentou, também, contato com o Secretário Municipal de Comunicação, Jorge Alberto Sonda, para saber quais providências seriam tomadas pela prefeitura e se o número de crianças havia aumentado, mas ele não respondeu às mensagens pelo celular.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments