Política

Richa abre licitação para contratação da empresa que fará o projeto da Delegacia

Por Redação JB Litoral
18/07/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

No dia 26 do mês passado, uma audiência na Secretaria de Segurança Pública do Paraná reavivou a possibilidade da Delegacia Modelo se tornar realidade em Paranaguá. A notícia veio do deputado estadual Artagão Júnior (PMDB), que confirmou o andamento na contratação da empresa que fará o projeto para construção da obra. Apesar do avanço, dificilmente ela será concluída até o final de 2014, visto que ainda se encontra em fase inicial.

O Governo do Estado abriu o processo licitatório para contratação da empresa que fará o projeto, segundo informações do diretor-geral da pasta, Lanes Randal Prates Marques, e do secretário de Segurança, Leon Grupenmacher. O projeto das delegacias cidadãs é padrão em todo o Paraná, sendo necessária a contratação de uma empresa de engenharia em cada município, que terá responsabilidade em fazer a adaptação do projeto, considerando as condições do terreno em que será instalada.

A área que a Delegacia Modelo deverá será construída no Aeroparque fica ao lado do 9º Batalhão da Polícia Militar. Promessa de campanha do governador Beto Richa (PSDB) nas eleições de 2010, divulgada na sua propaganda eleitoral na TV, a menos de seis meses do término de seu governo, a Delegacia ainda não foi construída. Apesar do processo em torno do local ter andado, com licitação em andamento para contratação da empresa responsável pelo projeto, dificilmente será realidade neste ano. Com isso a promessa de Richa para cidade feita, em 2010, não será cumprida nesta gestão.

Local da obra gera polêmica

A novela em torno da Delegacia Modelo começou em 2013 por conta da cessão do terreno, única contrapartida da prefeitura. Inicialmente ficou definido que o bairro do Bockmann, uma área próxima a Avenida Coronel Santa Rita, ao lado da garagem da prefeitura, seria o local de construção. Porém, após protesto de moradores, o prefeito Kersten reconsiderou, definindo, em janeiro deste ano, que o Aeroparque, ao lado do Batalhão da Polícia Militar, seria o terreno para a construção da nova delegacia. Agora, novamente, moradores da região de entorno do Aeroparque se posicionam contra a obra, sob o argumento do medo de trazer presos para a região, transferindo o problema da delegacia do centro para os bairros. Por outro lado, o prefeito Edison Kersten (PMDB), ressaltou que a Delegacia Cidadã não é cadeia e nem presídio. O foco será a prestação de serviços, como a confecção de documentos ou elaboração de boletins de ocorrência. “Precisamos pensar no coletivo e no que é melhor para nossa cidade. O município não dispõe de áreas e, se não indicássemos com agilidade, poderíamos perder a verba do Governo Estadual”, explicou. 

Maranhão luta pela delegacia desde 2013

Um dos maiores defensores da vinda da Delegacia Cidadã para cidade é o vereador Arnaldo Maranhão (PSB), que no ano passado, chegou a marcar uma reunião com o governador Beto Richa (PSDB), juntamente com a maioria dos vereadores, cobrando a conclusão da Delegacia. Isso que fez com que o Governo do Estado acelerasse o processo, que agora está em fase de contratação da empresa que fará o projeto. Em sessão legislativa no mês de maio, Maranhão afirmava que era necessário coragem para defender a construção da obra, algo que tem feito diante da precariedade do prédio da 1ª Subdivisão Policial. Segundo o vereador, há mais de 30 anos é prometida uma nova delegacia para cidade, reivindicação intensificada com o aumento da criminalidade nos últimos anos. Maranhão afirma que sempre irá defender a construção da Delegacia e “encarar de frente”, seja qual for o bairro escolhido para sua construção. “Depois que a bomba estourar, ou seja, ocorrer uma possível fuga em massa, aí sim a população irá cobrar os vereadores da Casa Legislativa”, alerta o vereador.