Governo do Paraná realizou em 2017 o maior gasto da década com propaganda

por Redação JB Litoral
25/03/2018 11:25 (Última atualização: 25/04/2018)

Desde 2012, governo manteve gastos com publicidade acima dos R$ 79 milhões

O gasto em propaganda é um dos focos de gestão do Governador Beto Richa (PSDB) desde o ano em que assumiu o comando do Executivo do Paraná em 2011. Em 2017, no entanto, o governo tucano conseguiu obter um recorde: o maior gasto registrado nesta área na última década no estado. Segundo levantamento do Livre.jor, portal jornalístico e acadêmico com foco na análise de portais da transparência e em gastos públicos, no ano passado a gestão Richa desembolsou R$ 164 milhões exclusivamente com propaganda institucional. Os dados possuem base em relatórios publicados pela Secretaria de Estado da Comunicação Social (SECS) no Diário Oficial do Estado (edições 9.994 e 10.139).

Governo do Paraná realizou em 2017 o maior gasto da década com propaganda 3
“Até então o recorde de gasto com propaganda pertencia a 2012, primeiro ano em que o Governo do Estado teve liberdade para definir o orçamento no Paraná. Em valores da época, foram R$ 106,8 milhões – mas que atualizados pela inflação oficial corresponderiam a R$ 138,7 milhões. O recorde quase foi quebrado no ano passado, quando um aumento de 29% nas despesas com propaganda jogou a rubrica de R$ 101 mi para R$ 131,6 mi. Nem aplicando a inflação o ano de 2016 fez frente a 2012, ficando em atuais R$ 131,9 milhões”, informa o Livre.jor.

De acordo com o estudo, houve aumento de 24% de despesa com propaganda oficial, algo que fez as administrações direta e indireta despenderem mais de R$ 164 milhões no ano passado de dinheiro público em propaganda.  “Vamos buscar os valores das décadas anteriores, e também os corrigir pela inflação, para saber se este é, ou não é, o maior gasto da história do Paraná com propaganda. Mas já dá para adiantar que nesta década é difícil que ele seja ultrapassado. Primeiro, por 2018 ser ano eleitoral, no qual há forte restrição a estas despesas”, explica o Livre.jor.

“Outro motivo que deve manter 2017 no panteão dos mitos da despesa pública com propaganda institucional é que, pelo orçamento de 2019 ser elaborado pela atual gestão, sem que se conheça quem assumirá o Palácio Iguaçu após as eleições deste ano, na transição de Planos Plurianuais, não haveria motivo para não aplicar o mesmo “garrote” que Roberto Requião e Orlando Pessuti deram em Richa”, informam os jornalistas do portal Livre.jor.

O ano de 2011 foi de “vacas magras” na gestão Richa, sendo que na inauguração do governo tucano ele só pode gastar R$ 5,7 milhões, valor pequeno em comparação aos gastos atuais. “Passados sete anos, ele corrigiu a “distorção”, mantendo a rubrica acima dos R$ 100 milhões – exceto em 2017, quando disputava a reeleição e gastou “só” R$ 79 milhões”, ressalta o Portal.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Por fim, a entidade afirma que irá analisar de forma mais profunda os dados divulgados de gasto com propaganda, no entanto já adiantou que percebeu despesas que não poderiam estar em relatórios de recursos utilizados para propaganda institucional.

 

*Com informações do Livre.jor/José Lazaro Jr.

 

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments