Política

Sandra Neves e Nagel impedem que DFF esclareça problemas da balsa na Câmara

Por Redação JB Litoral
18/07/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

A tentativa do vereador Arnaldo Maranhão (PSB) de fazer com que os responsáveis pela empresa DFF, que exploram o transporte fluvial em Paranaguá, comparecessem à Câmara para prestar esclarecimentos sobre a prestação do serviço, não encontraram apoio dos vereadores Benedito Nagel (PSD) e Sandra Neves (PDT) que votaram contra à vinda da empresa na sessão.

A motivação para que a empresa viesse até a Câmara, segundo o vereador, foi o péssimo serviço prestado aos moradores e usuários que necessitam se locomover do continente até a Ilha dos Valadares. Maranhão ressaltou que na semana retrasada, as condições da balsa e o atendimento ao cidadão, chegou ao ponto de resultar num boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia. O vereador questionou ainda qual vereador não tem recebido reclamação do serviço da balsa em seus gabinetes e disparou “a balsa é uma vergonha para cidade”.

Ao defender a empresa, a vereadora Sandra Neves disse que, em recente reunião, dos vereadores da Comissão que integra, juntamente com os responsáveis pela DFF e o prefeito Edison de Oliveira Kersten (PMDB), a empresa pediu mais 60 dias para por a nova balsa no Rio Itiberê e atender aos usuários. Disse ainda que 80% dos serviços que a DFF deve prestar estão encaminhados. Porém, o vereador Maranhão ressaltou que sequer tomou conhecimento da presença da DFF na Câmara e lembrou que a balsa nova, recentemente, comemorou um ano de inatividade.

O vereador João Carlos Alves Rodrigues (PPS), o Carlinhos da Ilha, que reside na Ilha dos Valadares, reforçou as palavras de Maranhão, o mesmo ocorrendo com o vereador Jacir de Oliveira Moraes (PSL), o Jacizinho, que também representa a Ilha dos Valadares. Ele disse que o contrato feito pela DFF com o município foi vergonhoso e defendeu a necessidade da balsa atender aos moradores da ilha durante a madrugada. O vereador levantou uma grave questão econômica, que é o fato da empresa não pagar Imposto Sobre Serviços (ISS) na cobrança da sua tarifa e sugeriu que a prefeitura cobre inclusive o ISS retroativo, desde o início do contrato de concessão. O vereador Ivan Aparecido Hrescak (PMDB), o Ivan da Fafipar, também apoiou a convocação e destacou que foi feito um “contrato de compadres” com a DFF.

O vereador Waldir Leite (PSC), apesar de concordar com a convocação, defendeu a vinda de outros envolvidos na prestação do serviço, como a Capitania dos Portos do Estado do Paraná, o Secretário da Fazenda e o Jurídico, em razão da denúncia do não pagamento do ISS feito por Jacizinho. Maranhão acatou a sugestão de Leite e retirou o requerimento sob a condição de ampliar o número de pessoas convocadas para prestar esclarecimentos. Mesmo com esta atitude de Maranhão, a vereadora Sandar Neves e o vereador Nagel, insistiram em votar contra a convocação da DFF.