Sindestiva distribui ivermectina aos associados no ponto de chamada

por Redação JB Litoral
18/08/2020 10:11 (Última atualização: 18/08/2020)

Antes de cada trabalhador receber a dose, foi realizada uma triagem com a profissional da área de saúde

Por Andresa Costa

O Sindicato dos Estivadores de Paranaguá e Pontal do Paraná (Sindestiva) colocou em prática mais uma proposta com o objetivo de proteger os seus mais de mil associados durante a pandemia do novo coronavírus, a Covid-19. A ação aconteceu na quinta-feira (12), no antigo ponto de chamada dos Trabalhadores Portuários Avulsos (TPAs), com a distribuição do medicamento ivermectina aos estivadores.

No local, estiveram presentes a técnica de enfermagem Marione Silva Castro e o diretor de ponto de embarque Valdir de Souza Mariano, com a unidade móvel de auxílio médico da própria Sindestiva. Antes de cada trabalhador receber a dose da medicação, foi realizada uma triagem com a profissional da área de saúde, em que dados dos pacientes foram coletados, como peso, idade, doenças pré-existentes, além de possíveis outros agravamentos que possam existir com o uso da medicação. Os TPAs passaram, também, por procedimentos, como a verificação de temperatura e oximetria. Cada um precisou assinar um termo de consentimento e só depois, a dose pôde ser levada para casa, de acordo com o quadro clínico de cada paciente.

De acordo com Marione, todos esses cuidados fazem parte de um protocolo já adotado em outras ocasiões para a distribuição do remédio. “Embora seja uma medicação com baixos efeitos colaterais, é necessário tomar alguns cuidados. Estamos nos assegurando com esses exames preliminares, para que as doses possam atingir a máxima eficiência”, disse a técnica de enfermagem.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Medicamento é de manipulação

Nessa iniciativa, foram distribuídas mais de 2 mil doses da medicação aos homens que trabalham diretamente em operações no porto público. Conforme Valdir Mariano, “mesmo sabendo que o medicamento não previne o risco da contaminação da Covid-19, queremos nos cercar de todos os cuidados necessários para proteger o portuário. É preciso cuidar da nossa gente porque sem eles o porto de Paranaguá não é nada”, declarou o diretor.

Para que os trabalhadores tivessem acesso ao medicamento, o presidente da Estiva cuidou para que o sindicato adquirisse a medicação por meio da fórmula de manipulação. Com isso, a remessa não comprometeria o abastecimento em outras regiões, a entrega seria mais rápida e o custo bem menor. “A distribuição desse medicamento é apenas complementar, é mais uma medida em meio a tantas outras que a Sindestiva tem executado, desde que a pandemia atingiu o Litoral do Paraná, no início do mês de abril”, declarou Everson Fernando Leite de Farias.

Um dos trabalhadores, que esteve no local e recebeu o medicamento, acredita que “ações como essa são muito importantes para o cuidado da saúde dos trabalhadores portuários, pois eles são a mão de obra que move o porto público. A Sindestiva sempre está atenta à saúde dos TPAs e não deixaria de estar neste momento de pandemia”, declarou Jairo Garcia.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments