Destaques

Sindicap faz boa negociação evita greve e garante aumento aos associados

Por Redação JB Litoral
24/07/2014 00:00 |
Atualizado em 00:00

O trabalho produtivo em favor dos associados, aliado ao enorme bom senso do empresário Ângelo Gulin da Viação Rocio, resultou na harmonia entre o capital e trabalho, evitando uma possível greve e culminando no aumento de 9% para toda categoria em Paranaguá.

Foi o que informou o presidente do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários e Anexos de Paranaguá e Litoral (Sindicap), Jesiel Veiga e o tesoureiro Sidney Fortunato.

De acordo com os dirigentes sindicais, na primeira assembleia geral extraordinária realizada no dia 25 do mês passado, a categoria recusou a proposta de aumento de 7,5% oferecida pela Viação Rocio. A defesa por um índice não inferior a 9%, caso contrário seria deflagrada uma greve na cidade, prevaleceu a boa vontade da empresa que propôs o índice de 9% e que foi aceito pelos trabalhadores. Segundo Jesiel, o mesmo índice de aumento foi conquistado pelos trabalhadores em Ponta Grossa, depois de 18 dias de greve.

O mesmo ocorrendo em Curitiba, que precisou de três dia de greve para conseguir um índice de aumento de 9,28%. A boa negociação entre o Sindicap e a Viação Rocio, evitou o conflito e agradou tanto a classe trabalhadora como a patronal.

De acordo com Jesiel, a presença e o apoio da Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Paraná (Fetropar), através do secretário de negociação José Aparecido Faleiros foi fundamental para o bom fechamento de acordo.

Com o aumento, o tesoureiro Sidney Fortunato disse que os salários dos motoristas saltou para R$ 1.632,00 e dos cobradores para R$ 998,00, enquanto que o vale refeição ficou em R$ 207,00. Os motoristas que, além de dirigir, precisam fazer a cobrança da tarifa, passaram ganhar R$ 1,00 por hora trabalhada, o que era pago R$ 0,70 antes da negociação.

Com este índice, Paranaguá se tornou a terceira cidade do Estado com o maior salário no transporte urbano, para uma carga horária de seis horas trabalhadas, perdendo apenas para Londrina e Curitiba. Outra conquista assegurada pela Viação Rocio, neste trabalho feito pelo Sindicap, foi a estabilidade dos cobradores, apesar dos veículos que, hoje, dispensam o uso deste trabalhador.

 

 

 

DESTACAR OS OLHOS

 

A boa negociação entre o Sindicap e a Viação Rocio, evitou o conflito e agradou tanto a classe trabalhadora como a patronal.

 

 

Com este índice, Paranaguá se tornou a terceira cidade do Estado com o maior salário no transporte urbano, para uma carga horária de seis horas trabalhadas, perdendo apenas para Londrina e Curitiba.