Surto de dengue pode atingir o litoral em plena temporada de verão

por Redação JB Litoral
25/10/2015 19:00 (Última atualização: 25/10/2015)

NULL

Em outubro, há cerca de dois meses para o início da temporada de verão 2015/2016, o litoral do Paraná passa a se preocupar com um surto de dengue em pleno período de férias e de vinda de turistas para a região. Os casos da doença já ocorrem há meses, principalmente em Paranaguá, porém, somente agora a Secretaria de Estado da Saúde (SESA), da gestão do governador Beto Richa (PSDB), que iniciou preparativos para a temporada, passou a se preocupar de forma mais contundente com os casos autóctones (os que se originam no próprio município) de dengue na Regional de Saúde de Paranaguá. 

Segundo a SESA, desde o começo de 2015, 94 registros de dengue já ocorreram em Paranaguá, sendo que 80 deles foram contraídos dentro do município. A partir de agora, a situação é tratada com urgência, assim como outras questões naturais de saúde pública, visto que pode haver um surto da doença em plena temporada. “Paranaguá já registrou casos de dengue em outros anos, mas eram importados. O número de casos autóctones deste ano chama a atenção, por isso intensificamos as ações em Paranaguá para nos anteciparmos à temporada”, esclarece a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria, Eliane Chomatas.

Preocupação existe desde janeiro

A Prefeitura de Paranaguá, desde o início do ano, realiza em parceria com o Governo Estadual, mutirões dedicados a combater a dengue, principalmente com medidas de combate ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Residências em vários bairros são visitadas, com foco para tirar a água parada que facilita a reprodução do mosquito, porém, mesmo assim, ainda há casos até o momento. Segundo Sandra Machado, secretária municipal de saúde, a intenção é de fazer um grande mutirão em novembro, de dois dias, que irá promover um arrastão no município, eliminando criadouros do mosquito antes da chegada do verão, que aumenta a temperatura, o número de turistas e também o de proliferação.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, mais de 800 pessoas estarão participando do mutirão em Paranaguá, entre eles profissionais de saúde, voluntários e até mesmo militares do Exército do Brasil. “A expectativa é que o mutirão percorra todos os bairros da cidade, atingindo cerca de 62 mil domicílios e estabelecimentos”, ressalta a secretária.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Expectativa da vinda de turistas preocupa Estado

O apoio do Estado se intensificou em Paranaguá somente agora, período que antecede a vinda de turistas de outras regiões, ampliando o risco normalmente vivido pelos moradores do litoral. Segundo o município, o governo estadual já enviou oito caminhonetes fumacê para atuar na eliminação dos mosquitos em fase adulta na localidade, com suporte técnico agora da coordenação estadual do Programa de Controle da Dengue.

A preocupação obviamente aumentou devido à vinda possível de 2,5 a 3 milhões de turistas para o litoral na temporada, fazendo com que o problema da dengue em Paranaguá não mais seja somente dos parnanguaras e litorâneos. “E a circulação de pessoas pode até ser maior que em outros anos por causa da crise econômica, o que faz com que as famílias optem por destinos turísticos mais próximos”, acredita Eliane. O inverno mais curto do que o previsto e a expectativa de um verão ainda mais quente também intensifica o problema. Válido ressaltar que o Aedes, além de transmitir a dengue, também causa febre Chikungunya e a febre Zika.

 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments