Tartaruga gigante bota ovos em Pontal do Paraná; veja o vídeo

por Redação JB Litoral
02/01/2021 15:07 (Última atualização: 02/01/2021)

Foto: @lecufpr

Fonte: UFPR

A equipe de profissionais e pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias (PMP-BS) e do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná UFPR) isolou uma área na praia de Pontal do Sul, em Pontal do Paraná (PR), onde uma tartaruga-gigante (Dermochelys coriacea) postou ovos nesta quinta-feira (31), no início da manhã.

A tartaruga-gigante é uma espécie em risco grave de extinção, e raramente vem ao litoral paranaense para desova. É o segundo episódio acompanhado pela equipe, que monitorou caso semelhante em 2010. 

A tartaruga postou cerca de cem ovos, que devem ser preservados porque a espécie é protegida integralmente por norma federal. “A tartaruga possivelmente voltará daqui uns dez dias para nova desova, podendo subir a praia para deposição de ovos até dez vezes na mesma temporada. A tartaruga-gigante é uma espécie criticamente ameaçada de extinção e precisa de todos os cuidados e monitoramento especializado de dia e de noite durante todo seu período reprodutivo”, ressalta a bióloga e pesquisadora Camila Domit, que coordena o LEC/UFPR. 

O aviso da equipe é para que a população não interfira em nenhuma etapa do processo, visto que molestar animais é crime conforme a legislação ambiental vigente. Assim, segue a orientação de não mexer nem tocar na tartaruga (caso ela volte), e evitar mesmo frequentar o local. Obedecer as orientações é essencial para dar chance de sobrevivência aos filhotes da espécie ameaçada, que já têm baixa expectativa de chegar à vida adulta. 

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Isso vale para qualquer animal marinho, tanto para os que encalham devido a algum problema de saúde quanto para os que encontram local para reproduzir, assim como a tartaruga-gigante de Pontal. 

Vídeo mostra momento em que a tartaruga-gigante retorna ao mar de Pontal do Paraná após a postura dos ovos. Crédito: PMP/Divulgação 

Mortes por encalhe ainda frequentes 

Também conhecida como tartaruga-de-couro, a Dermochelys coriacea é a maior espécie de tartaruga marinha existente, podendo medir até dois metros e pesar 700 quilos. Vive usualmente na zona oceânica durante a maior parte da vida, aproximando da zona costeira apenas quando em busca de alimentos, como as águas-vivas. 

Em geral, a espécie começa a se reproduzir após os 20 anos e a única área regular de desova conhecida no Brasil situa-se no litoral norte do Espírito Santo (região de Regência, ES). No Piauí e mesmo no Paraná já foram registradas fêmeas desovantes, mas não tão constantemente como no Espírito Santo. 

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments