UFPR troca coordenador do Núcleo de Concursos após suspensão das provas para seleção da Polícia

Universidade alegou problemas inesperados e insuperáveis nas últimas 24 horas.

por Redação JB Litoral
22/02/2021 15:25 (Última atualização: 3 dias atrás)

Universidade alegou problemas inesperados e insuperáveis nas últimas 24 horas. Foto: Divulgação

Fonte: G1 PR e RPC Curitiba

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) resolveu trocar o coordenador do Núcleo de Concursos da instituição após a suspensão do concurso público da Polícia Civil horas antes da aplicação das provas, neste domingo (21).

De acordo com a universidade, Altair Pivovar será substituído temporariamente por Alexandre Trovon de Carvalho, no Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná (NC-UFPR).

Em nota oficial, a UFPR disse que o Núcleo de Concursos se deparou com “problemas de logística inesperados e insuperáveis”, nas últimas 24 horas.

Entre os problemas elencados pela universidade está o recebimento de termômetros para checar a temperatura dos candidatos, que foi uma exigência feita pelo Ministério Público do Paraná e Defensoria Pública da União e do Estado.

Além disso, a universidade afirmou que locais que haviam cedido o espaço para aplicação das provas, como escolas, desistiram da permissão, o que gerou um problema para realocar os candidatos.

A UFPR disse que a suspensão do concurso, apesar de ser radical, ‘seria menos traumática que uma execução das provas’, já que a aplicação poderia por em risco candidatos e colaboradores.

A instituição avaliou ainda que, diante dos problemas, o concurso poderia acabar sendo anulado e refeito em um outro momento.

Por fim, a universidade lamentou a suspensão e disse que abriu uma apuração interna para identificar se houve desvios na condução das ações realizadas.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Contrato

O Governo do Paraná e o NC-UFPR firmaram contrato para a realização do concurso público da Polícia Civil em março de 2020.

O contrato tinha valor estimado de R$ 4.799.900,00 para a realização de um concurso com até 70 mil candidatos. Em caso de excedente, o governo se comprometeu a pagar entre R$ 60 e R$ 62 a mais, por inscrito.

Segundo a UFPR, ao todo, 106.440 pessoas se inscreveram no concurso público. As provas deveriam ser feitas em julho de 2020, mas acabaram adiadas por causa da pandemia.

O certame deve contratar 400 servidores para os cargos de delegado, investigador e papiloscopista. Os salários chegam a R$ 18 mil.

O delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, disse que avalia cancelar o contrato com o NC-UFPR e contratar outra instituição para a realização do concurso público.

O que diz o governo

O Governo do Paraná afirmou por meio de nota que vai abrir um processo administrativo por quebra de contrato contra a UFPR e que não compactua com a “irresponsabilidade de serem informados do cancelamento poucas horas antes da aplicação das provas”.

Além disso, disse ainda que está cobrando esclarecimentos do Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná, responsável pelo concurso, sobre a decisão.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments