Vídeo de técnica em enfermagem de Pontal do Paraná alegando perseguição e descaso viraliza

por Jéssica Fernandes
19/03/2021 19:24 (Última atualização: 2 dias atrás)

A saúde pública do litoral do Paraná passa por um dos momentos mais delicados da pandemia da Covid-19, segundo os governantes das esferas municipal e estadual, evidenciando ainda mais os profissionais da área que estão na linha de frente.

No entanto que o vídeo publicado pela técnica em enfermagem Rosiane Basilio, servidora pública em Pontal do Paranaguá, na rede social Facebook, no domingo (14), teve mais de 1,6 mil compartilhamentos e 500 comentários. No vídeo, ela relata que os seus colegas de profissão estão pedindo socorro porque estão cansados.

Durante os 14 minutos de vídeo, a profissional desabafa sobre diversas situações que, segundo ela, estão acontecendo no município. “Nossas condições de trabalho são desumanas. O prefeito chega na prefeitura de manhã e vai direto fiscalizar o Posto de Saúde. Fiscalizar o que? Nós estamos vivendo num inferno, estamos vendo nossos pacientes morrer por falta de oxigênio”, fala Rosiane no vídeo.

Além disso, ela conta que o prefeito de Pontal do Paraná, Rudisney Gimenes, o Rudão Gimenes (MDB), a ameaçou. “Ninguém vai me calar, não adianta vir com ameaça. Já me ameaçou falando que tem conversas minhas no WhatsApp e são as mesmas que eu tenho. Se ele quiser, eu exponho. Estou gritando não é de hoje”, relata a funcionária. Ela destacou que denunciou as situações ao Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren) e Ministério Público do Paraná (MPPR). (Veja o vídeo no final da reportagem)

Troca de plantão

Na quinta-feira (18) a servidora publicou outra polêmica envolvendo ela e Rudão. De acordo com a postagem, ele a tirou do seu local de trabalho. “Minhas férias acabaram no dia 16 de março, ontem era dia 17 de março, ou seja, já não estava mais de férias, poderia fazer até extras. Então, fui a pedido de minha colega fazer o plantão para ela, pois o pai dela estava hospitalizado e ela precisava acompanhar ele”, começou o texto.

A técnica em enfermagem ressaltou que houve troca de plantão. “Eu fiz o plantão dela do dia 17 e ela fará o meu dia 20. A troca foi a pedido dela e não meu. Ela comunicou nossa chefia imediata, a enfermeira Aurilene Zen, que estava ciente da troca. Sou servidora do município, lotada naquele local, o 24 horas, até que receba algum documento de transferência por escrito da secretaria de Saúde. O prefeito não tem autorização para escolher quem vai fazer a troca de plantão ali e nem impedir, isso não é função dele. Ele não tem autorização de me retirar de meu local de trabalho, mesmo acompanhado de seus capangas, não tenho medo deles. Ele não tinha o direito de ficar desfilando todos os dias em um lugar que é altamente contaminado, ele e sua comitiva, que fazem isso diariamente, ali não é um shopping, temos pacientes em situações gravíssimas e muito delicada”.

Ela encerra pedindo respeito. “Então, a única coisa que queremos é respeito e tranquilidade para trabalhar. Vamos ter que ficar quatro anos tendo que passar por esse tipo de situação de humilhação e vexame no local de trabalho. Já não bastasse o que estamos vivenciando. Se tem uma coisa a qual me orgulho é não fazer nada fora da lei e sei bem o que faço. Sei meu lugar. Agora, pelas ligações e mensagem do RH da prefeitura, possivelmente serei transferida dali”, encerrou.

O JB tentou contato com a profissional, mas até a publicação desta matéria não obteve retorno.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

O que diz a prefeitura

O prefeito de Pontal disse em entrevista ao JB Litoral que não houve qualquer situação de tumulto ou escândalo no Pronto Atendimento. “Estamos focados em salvar a vida das pessoas. Infelizmente, a falta de medicamentos, insumos, Equipamentos de Proteção Individual (EPI) está ocorrendo em todo o Brasil por tudo que estamos passando. Então, são críticas que não tem cabimento. Falar que estamos perseguindo ou sendo autoritário. Estamos tentando nos dedicar ao máximo à saúde pública para melhorar a atual situação”, explicou Rudão Gimenes.

Ele destacou também que Rosiane já vem causando problemas há algum tempo. “Essa servidora vem perseguindo a administração por questões pessoais, causando tumulto, xingando vereadores, o prefeito, fazendo vídeo nas redes sociais com palavras de baixo calão”.

Rudão reforça que a atual gestão, que assumiu em janeiro deste ano, pegou uma saúde com diversas dificuldades. “Ela já fez diversas denúncias no Ministério Público, no Conselho de Enfermagem, mas o sistema de saúde está frágil. Pegamos uma saúde com diversas dificuldades. O que me deixa triste é o que estão fazendo com a população, falando que não tem medicamentos e materiais, sendo que tem. Quer manifestar? Tudo bem, mas se manifeste de outra forma e não prejudicando a população”.

MPT-PR e Coren

De acordo com a informação repassada pela assessoria de comunicação do Coren, não há denúncias registradas pela técnica. Porém, “o Conselho Regional de Enfermagem do Paraná (Coren/PR) acionou o Ministério Público do Trabalho (MPT) para apurar irregularidades encontradas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) das praias de Shangrilá e Praia de Leste. A inspeção dos fiscais do Conselho ocorreu em 14 de janeiro após uma enfermeira denunciar falta de equipamentos de proteção individual (EPIs), jornada excessiva de trabalho e ausência de pagamento dos salários dos profissionais terceirizados daquelas unidades”.

Houve também uma audiência pública, no dia 11 de fevereiro, sob a presidência da Exma. Procuradora do Trabalho, Dra. Flávia Vanessa Maia Nogueira, onde foram apresentados os seguintes problemas:

  • Insuficiência de EPI’s;
  • Ausência de rotinas de distribuição, utilização e armazenamento de EPI’s;
  • Bem como de paramentação, desparamentação e descarte;
  • Separação de fluxo de atendimento;
  • Inexistência de enfermeiro responsável técnico.

Na ata da audiência consta que o foi solicitado ao município de Pontal do Paraná que adotasse imediatamente todas as medidas necessárias para sanar as questões denunciadas.

O Ministério Público do Trabalho também informou que, até o momento, não há denúncia registrada.

Veja o vídeo

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments