Matinhos

Vídeo mostra pescadores retirando tubarões cabeça-chata de embarcações em Matinhos

Por Diogo Monteiro
16/05/2022 22:20 |
Atualizado em 11:54

Três tubarões cabeça-chata foram capturados por pescadores nesta segunda-feira (16), em Matinhos. A retirada dos animais chamou a atenção de moradores e turistas que acompanharam a ação.

Medindo mais de 1,5 m e pesando quase 200kg, os tubarões precisaram ser retirados do barco com o auxílio de um trator. O vídeo que mostra o momento viralizou nas redes sociais.

Ao JB Litoral, Adail João Pinto presidente da Colônia de Pescadores Z-4, de Matinhos, falou que os animais foram capturados acidentalmente há 16 milhas náuticas durante a pesca de cavala, uma vez que acabaram ficando presos nas redes. “Os tubarões cabeça-chata foram atrás de um cardume de cavalas e acabaram comendo a rede dos pescadores e ficaram presos nas linhas”, disse.

De acordo com Adail, os pescadores tiveram prejuízos e perderam seu material de trabalho por conta dos tubarões. ”No sábado já tivemos problemas com outros pescadores, que perderam mais de 10 mil reais em material de pesca. Dessa vez, tivemos que recolher os animais.”, finalizou o presidente da Z4.

Tubarão Cabeça-chata

Segundo o portal da Fundação Oswaldo Cruz, o tubarão cabeça-chata fêmea chega a medir até 3.5 metros na fase adulta e é considerado uma das espécies mais ferozes, sendo autor de diversos ataques a seres humanos.

Plano de ação para conservação dos tubarões

De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO), o litoral paranaense possui 51 espécies de tubarão catalogados no Livro Vermelho da Fauna Brasileira de Extinção do ICMBio. Isso representa mais de 58% da biodiversidade do animal marinho no país. Um relatório publicado em 2016, que integra o Plano de Ação Nacional, mostra que a pesca acidental dessas espécies fez com que 80% dos tubarões fossem capturados nas redes destinadas a peixes de maior valor comercial.

No Paraná, as espécies ameaçadas de extinção são o Tubarão-fidalgo, o Tubarão-martelo, Tubarão-martelo-liso e o Tubarão boca-de-velha. O Decreto Federal nº 6.514/2008 prevê multa de R$ 5 mil por indivíduo vitimado para quem matar, perseguir, caçar, apanhar, coletar ou utilizar espécimes de fauna silvestre ou em rota migratória catalogadas na lista oficial de espécies ameaçadas de extinção.