Parque Estadual Ilha do Mel recebeu mais de 89 mil visitantes em apenas seis meses; Unidade de Conservação foi a mais visitada do Paraná


Por Amanda Batista Publicado 13/07/2023 às 14h46 Atualizado 18/02/2024 às 16h53

O Parque Estadual Ilha do Mel foi o principal destino entre todas as 29 Unidades de Conservação (UCs) do Paraná, é o que aponta o levantamento realizado pelo Instituto Água e Terra (IAT), responsável pela organização e manutenção dos complexos ambientais.

Ao todo, cerca de 89.420 pessoas visitaram o parque nos primeiros seis meses do ano. Em todas as Unidades de Conservação do estado, o número chega a 284.899 turistas. Em comparação com o ano anterior, o montante equivale a 86% do público total que frequentou as UCs ao longo de 2022.

Se o Paraná mantiver a alta média de visitantes, pela primeira vez na história, ele deve alcançar a marca de mais de meio milhão de turistas em uma temporada de 12 meses, é o que aponta o diretor de Patrimônio Natural do IAT, Rafael Andreguetto.

“Podemos observar a preferência das pessoas por atividades do turismo de natureza para melhorar o humor e a vitalidade. Também devemos considerar que a oferta de produtos e serviços ligados à natureza também aumentou, hoje temos diversas práticas do turismo de aventura”, destacou o diretor.

Para Rafael, a consolidação do projeto Parques Paraná, implementado pelo Governo do Estado em 2019, ajuda a explicar a relevância que passaram a ter os atrativos naturais do Estado. De acordo com ele, a proposta visa estimular o uso público e turístico nas UCs, com foco no desenvolvimento socioeconômico, sob bases sustentáveis, e na prática do ecoturismo consciente.

O projeto propicia a qualificação e a promoção das Unidades de Conservação abertas à visitação no Paraná, além da ampla divulgação destes destinos”, acrescenta.

Sobre as Unidades de Conservação

O Paraná administra 72 Unidades de Conservação catalogadas pelo IAT, das quais 29 estão abertas para visitação. Esse montante compreende 26.250,42 km² de áreas protegidas por legislação, formadas por ecossistemas livres que não podem sofrer interferência humana ou àquelas com o uso sustentável de parte dos seus recursos naturais, como os parques abertos à visitação pública.

Conforme o diretor-presidente do IAT, Everton Souza, o Estado tem exercido um papel fundamental com ações de sustentabilidade e boas práticas nas propriedades de conservação, sejam elas públicas ou privadas.

É uma política de Estado apoiar as Unidades de Conservação. Assim, fazemos com que o patrimônio natural do Paraná fique congelado nessas localidades para que não haja possibilidade de interferir na biodiversidade”, conclui Everton.

*Com informações da AEN