Rede Municipal de Guaratuba tem adesão de 90% dos alunos, durante pandemia

por Luiza Rampelotti
12/08/2020 20:32 (Última atualização: 12/08/2020)

Secretária de Educação afirma que, mesmo com o alto índice de adesão, escolas realizam a busca por pais que não têm tido contato com o ambiente escolar. Foto/Rafael Pinheiro/JB Litoral

Com a paralisação das aulas presenciais, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), desde meados de março, professores e alunos tiveram que se adaptar à modalidade de ensino remoto, numa espécie de educação a distância (EaD) improvisada. Ou seja, as aulas têm sido transmitidas via televisão e internet, ao vivo, em múltiplas plataformas virtuais.  

Em Guaratuba, a Rede Municipal de Ensino, que atende 5.545 alunos nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs), nas escolas municipais urbanas e rurais (Ensino Fundamental – 1º ao 5º ano) e nas modalidades de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e de Educação Especial (Ensino Fundamental e Educação Infantil), registra uma adesão de cerca de 90% dos estudantes durante o período de suspensão das aulas presenciais. O número ainda não é o que almeja a Secretaria Municipal de Educação, que deseja atingir 100% das crianças.

Por isso, as escolas estão realizando, incansavelmente, a busca ativa dos pais ou responsáveis que não retiraram os materiais de apoio para seus filhos. É por meio dessa retirada que a frequência do aluno será validada”, explica a secretária da pasta, Angelita Maciel.

Segundo ela, desde que as aulas presenciais foram suspensas, no dia 18 de março, a Secretaria de Educação está buscando manter um vínculo com o aluno, com o objetivo de evitar a evasão escolar – único motivo que poderá reprovar o estudante. “Desde aquela época, mesmo antes de uma decisão do Núcleo Regional de Educação, já começamos a enviar atividades às crianças e, depois, em 13 de abril, passamos a enviar as apostilas com o conteúdo escolar. No dia 04 de maio, aderimos ao Aula Paraná Municípios, iniciativa do Governo do Estado que transmite as tele aulas via canais de televisão (50.2) e pela internet (Youtube da TV Paraná Turismo)”, explica.

Escolas conseguiram televisores para famílias

Atualmente, os estudantes da Rede Municipal assistem às tele aulas e o conteúdo escolar é complementado via apostilas, entregues, quinzenalmente, para os pais ou responsáveis. Para acompanhar a participação dos alunos, os professores monitoram, por meio de grupos de WhatsApp, compostos por pais/responsáveis e os profissionais de educação, a realização das atividades.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Ali no grupo é mantido o contato direto com o pai/mãe do aluno e, por ali, é possível saber se a criança está tendo acesso às tele aulas. Se ela não consegue assistir o conteúdo pela televisão, a professora baixa a aula, coloca no grupo e envia para os pais”, comenta a coordenadora de Gestão Educacional da Secretaria de Educação, Maria Aparecida Veiga.

Ela conta, também, que em alguns casos específicos, a comunidade escolar se reuniu para entregar televisores e antenas às famílias que não tinham o aparelho em casa. “É um momento de união e sensibilização e todos estão muito envolvidos nessa questão, então teve escola que conseguiu a tv para a criança, a antena. Foi emocionante a rede de apoio que se formou”, diz.

Menor adesão é nos CMEIs

Grande parte dos alunos matriculados na Rede Municipal são crianças de 0 a 03 anos, atendidas pela Educação Infantil nos CMEIs. São 1.087 matriculados. A menor participação escolar acontece nessa faixa etária, informa a secretaria.

Para as crianças da Educação Infantil, são enviadas atividades para os pais, que devem realizá-las com as crianças, com o intuito de estimular a interação e brincadeiras. Porém, nos CMEIs, a adesão não é tão grande”, comenta Maria Aparecida.

De acordo com ela, os pais afirmam que estão sobrecarregados com as tarefas domésticas, profissionais e com a educação dos filhos. Muitos deles têm mais de uma criança em casa. “Eles estão muito atarefados com a educação dos filhos, além das atividades domésticas, então alegam que está sendo muito difícil”, conclui.

CIDADES | GUARATUBA

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments