3 anos após telhado desabar é assinada Ordem de Serviço para obra da Estação Ferroviária

por Redação JB Litoral
23/02/2017 22:53 (Última atualização: 23/02/2017)

Em estado de abandono desde a gestão de José Baka Filho (PDT) e depois piorar na gestão dos prefeitos Mário Manoel das Dores Roque (PMDB) e Edison de Oliveira Kersten, a ponto de o telhado desabar em 2014, na quarta-feira (22), foi realizada a solenidade de assinatura da Ordem de Serviço para obra de revitalização do prédio da Estação Ferroviária feita pelo prefeito Marcelo Elias Roque (PV) e a empresa Pires Giovanetti Guardia Engenheria e Arquitetura Ltda em Paranaguá.

Com recursos na ordem R$ 1,7 milhão, oriundos do Governo Federal, através do Ministério do Turismo, conquistados ainda na gestão do presidente da extinta Fundação Municipal de Turismo (Fumtur) Rafael Gutierres Junior, na gestão do prefeito Edison de Oliveira Kersten (PMDB), a obra teve seu projeto de restauro aprovado em novembro de 2015, depois de apresentado ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e à Secretaria de Estado da Cultura (SEEC), elaborado totalmente de acordo com as exigências feitas para esse tipo de obra.

Na época, o prefeito Kersten aproveitou uma viagem a Brasília onde se reuniu com o então Ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, que garantiu o retorno da Litorina a Paranaguá assim que a Estação Ferroviária estiver pronta, segundo informação do Portal da prefeitura.

O prédio, que está em ruínas, por anos, foi alvo de vandalismo, os tapumes que protegiam a porta da frente caíram mais uma vez e as pichações estão espalhadas por todo o monumento de 130 anos de história, que é tombado pela SEEC e  pertence ao patrimônio ferroviário da União.

De acordo com Ronald Lofredo Júnior da empresa Pires Giovanetti Guardia Engenheria e Arquitetura Ltda, a verba será usada para fazer nova cobertura, parte elétrica e hidráulica, instalação de esquadrias, além da pintura.

A cerimônia de assinatura aconteceu na Praça Almirante Tamandaré com a presença de populares, vereadores, secretários municipais, da Caixa Econômica Federal, Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN), entre outros segmentos.

O vice-prefeito de Paranaguá e secretário Municipal de Obras, Arnaldo Maranhão Júnior destacou que a recuperação da Estação Ferroviária faz parte de uma série de novas obras que serão executadas. “Esta obra é mais um marco da gestão”, disse Maranhão.

De acordo com o secretário Municipal de Planejamento, Sílvio Loyola, o objetivo, após concluída a obra, é buscar autorização do Iphan para promover uma parceria público-privada para que o local seja mantido em perfeitas condições e possa se transformar num local de visitação permanente. “Trata-se de um prédio importante, com características delicadas e de cara manutenção”, explicou.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Para o presidente da Câmara, Marquinhos Roque, a parceria entre os poderes Legislativo e Executivo ajudará na execução de novas obras para a população. “Vamos pensar no futuro e dar celeridade e respostas à população”, completou.

O prefeito Marcelo Roque lembrou que, “após 50 dias de mandato, sem muitos recursos, chegamos a este momento do início das obras da Estação. Amanhã mesmo, as obras começam”, confirmou.

História

A Estação Ferroviária é uma edificação construída em 1922 para substituir a primeira estação ferroviária de 1885, trata-se da segunda edificação construída para atender a demanda de passageiros que chegavam a vapor com destino ao planalto e a primeira Estação Urbana da Estrada de Ferro Paranaguá Curitiba.

Trata-se do marco inicial de uma das maiores obras de engenharia ferroviária do mundo, a ferrovia Paranaguá-Curitiba.

 

Com informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Paranaguá

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments