Destaques

Bancários organizam início da greve para a meia-noite

Por Redação JB Litoral
29/09/2014 18:00 |
Atualizado em 18:00

Os bancários de Curitiba e Região Metropolitana planejam paralisar as atividades a partir da zero hora dessa terça-feira (30). Depois do Sindicato dos Bancários da capital paranaense e de outras sete cidades optarem pela greve na última quinta-feira (25), na sexta-feira (26) a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) decidiu retomar as negociações durante o fim de semana. Depois de mais um encontro com a Fenaban, os sindicatos da categoria pelo Brasil devem se reunir nesta segunda-feira (29) para analisar a proposta feita pelas empresas. Em Curitiba, a Assembleia Geral Extraordinária acontece às 18h30, na sede cultural do sindicato, no bairro Rebouças.

A minuta das reivindicações contém mais de 120 itens. As principais exigências são aumento salarial de 12,5% (5,4% de aumento real e 7,1% de reposição da inflação), piso salarial de R$ 2.979,25, conforme salário mínimo sugerido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), e vale-alimentação, refeição e auxílio-creche de R$ 724, além de plano de cargos e carreiras.

De acordo com dados de junho deste ano, atualmente são 18.013 bancários em Curitiba e Região Metropolitana, distribuídos em 533 agências. No Paraná, a categoria contabiliza 31.073 profissionais. As informações são do sindicato.

Desde 11 de agosto o sindicato nacional da categoria tentava negociar com a Fenaban. Na semana passado, os bancos ofereceram reajuste de 6,96% e desconsideraram as outras exigências.

Onde pagar suas contas

Se a greve acontecer, saiba onde pagar suas contas. As casas lotéricas recebem a maioria dos boletos bancários, contas e tributos. Confira a lista de serviços disponíveis:

-Pagamentos: contas de água e luz, com fatura; telefone, com ou sem fatura; tributos; bloquetos Caixa – dinheiro ou cheque se o convênio permitir; bloquetos de outros bancos – em dinheiro; prestação de habitação; INSS/GPS, FGTS-GRF, GRRF/GRDE (com código de barras), contribuição sindical – em dinheiro;

-Saques: de contas correntes da Caixa e poupanças com cartão magnético e identidade limitado a três transações por dia; saque de contas do Banco do Brasil;

-Outros serviços: consulta de saldos de contas da Caixa; depósitos em contas correntes e poupanças da Caixa; recarga de celular pré-pago;

 

O que fazer?

Veja como proceder caso seja deflagrada greve dos bancários em Curitiba e RMC:

– Antecipar os pagamentos, se possível.

– Procurar serviços alternativos para efetuar transações financeiras, como lotéricas, farmácias e serviços bancários online/telefônicos.

– Para os boletos que podem ser pagos apenas em um banco, a empresa que emite a conta deve ser procurada para saber como proceder ante possíveis atrasos.

– No caso de um cliente ter prejuízo, uma das ações possíveis é procurar a ouvidoria dos bancos.

– Se a falta de resposta da instituição financeira persistir, o consumidor deve procurar o Procon.

– As agências serão fechadas, o que impedirá o usuário de pagar contas na boca do caixa, fazer saques acima de R$ 1 mil e compensar cheques.

– Os caixas automáticos funcionarão normalmente para saques, depósitos e pagamento de contas com códigos de barras.

-Todos os serviços pela internet continuaram normais. É possível realizar empréstimos, tirar extratos, fazer investimentos, realizar pagamentos e transferir valores.

 

Negociação não avançou no fim de semana

Agência Brasil

Após uma nova rodada de negociações entre a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), os bancários decidiram manter a greve prevista para começar nesta terça-feira (30). Na reunião de sábado (27), os bancos elevaram o índice de reajuste de 7% para 7,35% para os salários, e de 7,5% para 8% para os pisos, segundo a Contraf, mas os trabalhadores não aceitaram a proposta.