BAIRRO DA CAIXA D’ÁGUA – Moradores cobram manilhamento e boca de lobo para pôr fim ao esgoto a céu aberto


Por Redação JB Litoral Publicado 14/02/2015 às 16h52 Atualizado 14/02/2024 às 06h00

Uma enorme e perigosa valeta localizada na Rua Laudecir Martinski, recebe o esgoto de quase toda região e, em dias de chuva, invade as casas vizinhas pela falta de manilhamento. Além do mau cheiro e do risco de doenças, a valeta esta num perigoso processo de erosão que ameaça o alicerce da casa do morador Ezequiel Pinheiro, que pode desabar se nada for feito para conter o avanço das águas.

Convocada pela comunidade, através da liderança da moradora Roseli Aparecida Santos, a reportagem do JB esteve no local e constatou o risco que convivem os moradores. De acordo com Roseli, a rede de manilhas está com diversas interrupções e faz com que a água, em dias de chuva, flua com maior velocidade, o que gera os alagamentos em sua casa e dos moradores do bairro. Vizinha de uma professora, Roseli conta que a casa dela já ficou quase totalmente submersa. Ela explica que o problema começa antes mesmo da rede de manilhas, mais precisamente debaixo da passagem de nível, onde não existe escoamento das águas.
A moradora disse ainda, que a prefeitura esteve no local fazendo um manilhamento, mas acabou danificando outra manilha que dá acesso a valeta e a deixou solta na rua, onde permanece até o momento. 

No mês passado, Roseli protocolou na prefeitura, o pedido de desvio do curso do manilhamento, uma vez, que ele passa pela parte debaixo do nível térreo da sua casa, com as chuvas, trazem sérios prejuízos, inclusive com rachaduras no piso e estrutura da residência.

O morador Claudio Luiz Pedro dos Santos, diz estar cansado de protocolar pedidos para a construção de uma boca de lobo ao lado da valeta, onde já caíram dois carros. Ele disse que já fez cerca de sete pedidos e, o último deles, no dia 2 deste mês, sob o número 0877/2015. O morador conta que teve de investir cerca de 20 caminhões de areia em seu quintal para nivelá-lo a fim de evitar os alagamentos, além de construir, em sua área de acesso a casa, um muro para conter a invasão das águas. Claudio conta ainda, que ele mesmo fez sua rede de drenagem e esgoto na casa e subiu o alicerce mais de um metro, até o limite onde ocorria a inundação.
Por sua vez, Ezequiel Pinheiro, cuja, a casa fica a poucos metros da valeta, sente o perigoso avanço da erosão e teme por sua família. A exemplo dos demais moradores, ele tem feito pedidos para prefeitura solucionar o problema sem nenhum sucesso.

Manilhamento, desentupimento e boca de lobo

O consenso entre os moradores é a imediata construção de uma boca de lobo ao lado da manilha, mas seguida de um manilhamento com tubulações de um metro de diâmetro em toda extensão do canal de drenagem. De acordo com os moradores, com isso, seria possível evitar a erosão, por fim na valeta e no esgoto a céu aberto, colocando um ponto final nos alagamentos.

A reportagem do JB procurou a prefeitura sobre este assunto fazendo os cinco questionamentos; porque razão os muitos pedidos de boca de lobo e manilhamentos protocolados na prefeitura, ao longo desta gestão, não estão sendo atendidos; nesta gestão qual foi a última vez, que a prefeitura fez uma desobstrução nas manilhas da rua; porque a prefeitura iniciou um manilhamento antes da valeta e parou deixando manilhamento solto na rua; quando a prefeitura pretende fazer uma boca de lobo que a comunidade solicita, e o fechamento da valeta a céu aberto com a colocação de manilhas de um metro; quais as ações que a prefeitura pode fazer para ajudar a comunidade. O prefeito João Ubirajara Lopes (PSC), o João Domero, disse que “antes de enviar a resposta iria verificar juntamente com a Secretaria de Obras o problema”. Ele justificou dizendo que existem obras que precisam de projetos e recursos estadual ou federal para que seja concretizado, outras obras de convênios que são direcionadas a um tipo de projeto, algumas feitas com recursos próprios e funcionários próprios também e que e existem obras de manutenção em geral, o que poderia ser o caso da Rua Laudecir Martinski.Mas como não vi de perto a situação a que se refere, vou verificar para ver se já não está na programação. Temos uma vasta lista de programação de manutenção e devido, a grande queda de recurso no ano de 2014, onde não só Antonina como outros municípios passaram, sofre em pelo menos pagar a folha dos funcionários.Fomos obrigados a demitir comissionados e suspender três licitações, sendo uma de limpeza da cidade, outra de roçada, retroescavadeira e caminhão e de um caminhão de lixo. Agora estamos suspendendo as apostilas do Positivo.Temos que ser realista, a coisa não está boa e se não suprimir agora, lá na frente será pior”, disse o prefeito que deverá responder aos cinco questionamentos nesta semana.

 

 

 

Notícias

Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes inaugura serviço de puericultura para bebês em Matinhos


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…