COMPRA DE R$ 7,3 MILHÕES – Pregão fará prefeitura consumir 17,5 milhões de sacos de lixo em um ano


Por Redação JB Litoral Publicado 13/02/2015 às 19h15 Atualizado 14/02/2024 às 05h56

No dia 19 de setembro de 2014 a divulgação do Pregão Presencial 053/2013 no jornal oficial da prefeitura de Paranaguá trouxe números que chamaram a atenção pela quantidade de sacos de lixo, incluída no registro de preço e, pelo fato de ser um edital assinado em outubro do ano passado. A reportagem do JB analisou os detalhes desta publicação e constatou uma compra de 506.558 sacos de lixo de diversas capacidades de acondicionamento que totalizaram R$ 1.649.042,90. Questionada pelo JB, na época, a prefeitura disse queos sacos de lixo foram adquiridos ao longo do ano para todas as secretarias da administração municipal, mas que havia sido gasto R$ 341.473,13 até aquela data”.

Passados poucos mais de quatro meses, uma nova licitação na modalidade Pregão Presencial (02/2015), do tipo menor preço por item, previsto para ser realizada no dia 3 deste mês, anunciou a compra de material de limpeza e higiene no valor estimado de R$ 15.640.244,20. Entre os itens elencados nesta compra, cerca de 50% do valor é destinada à compra de exatos 17.544.100 sacos de lixos de cinco diferentes capacidades de acondicionamento, totalizando um investimento de R$ 7.399.878,06 em sacos de lixo.

A prefeitura propôs a compra de 5.986.600 sacos de 100 litros, pelo preço de R$ 0,6155, totalizando R$ 3.684.752,30.

810.300 sacos de 15 litros pelo preço de R$ 0,1312 totalizando R$ 106.311,36.
1.836.400 sacos de 200 litros pelo preço de R$ 0,7267 totalizando R$ 1.334.511,88.
4.463.000 sacos de 30 litros pelo preço de R$ 0,2142 totalizando R$ 955.974,60
4.447.800 sacos de 50 litros pelo preço de R$ 0,2964 totalizando R$ 1.318.327,92.

Os números mostram que basta a prefeitura comprar pouco menos de 24 mil sacos de lixo de 100 litros para construir o aterro sanitário municipal.

Vale destacar que em abril do ano passado a prefeitura da cidade mineira de Muriaé, que possui uma população de mais de 100 mil habitantes, o prefeito reeleito Aloysio Aquino (PSDB), gastou R$ 1.434.608,21 na construção do aterro sanitário do município, o equivalente a 23.308 sacos de lixos de 100 litros do Pregão Presencial 02/2015.

9.919 rolos de papel higiênico por dia

Ainda neste pregão o JB constatou que a prefeitura pretende gastar R$2.778.213,06 na compra de 2.579.136 rolos de papel higiênico para o período de um ano, o que significa um consumo diário de 9.919 rolos ao dia e 1.239 a cada hora em toda administração municipal. O JB observou que o teto máximo definido pela prefeitura para compra do papel higiênico é de R$ 1,07 por rolo, porém, um levantamento feito pela reportagem junto aos principais supermercados da cidade, a preço de varejo e não de atacado o preço varia de 30.8% a 29,4% mais barato. Na rede de supermercados Condor, o rolo de papel higiênico de folha dupla, de (30mX10cm), cor branca da marca Milli Duo Chic, conforme especificação do edital de licitação custa R$ 0,68, enquanto que na rede Muffato Max o mesmo papel, da mesma marca, custa R$ 0,68 o rolo. 

Nesta semana o JB procurará a prefeitura para saber quem foi a empresa vencedora desta licitação, o motivo da licitação milionária de sacos de lixo em tão pouco tempo, após a compra de setembro e a diferença no valor do teto máximo definido pela prefeitura com a venda praticada no varejo no mercado.

 

Notícias

Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes inaugura serviço de puericultura para bebês em Matinhos


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…