Destaques

Pessoas acima de 6 meses podem se vacinar contra a gripe

Por Gabriel Santos
25/06/2022 18:20 |
Atualizado em 18:20

A partir de agora, qualquer pessoa acima de 6 meses poderá tomar a vacina contra a gripe no país. A decisão de ampliar o público-alvo da campanha de imunização passa a valer a partir deste sábado (25) em todo o território nacional, enquanto durarem os estoques das vacinas nos postos de saúde.

Desde abril, a campanha nacional de mobilização estava focado os esforços em imunizar apenas os grupos prioritários. Com a ampliação para toda a população, as doses continuam sendo disponibilizadas para os idosos com mais de 60 anos, indígenas, profissionais de saúde, professores, entre outras categorias listadas pelo Ministério da Saúde.

Até o momento, o órgão de saúde já vacinou 58% da população brasileira contra a Influenza. Para o ministro da pasta, Marcelo Queiroga, a imunização é um ponto fundamental para a proteção das diversas cepas da doença, como a H3N2.

“Os pressupostos para o sucesso das campanhas de vacinação são absolutamente atendidos no nosso País: nós temos vacinas e temos uma capacidade sem precedentes de aplicá-las, graças aos vacinadores que estão nas salas de vacinação do Brasil. Ano passado, tivemos casos em várias regiões por conta da cepa H3N2. A vacina deste ano já protege contra essa cepa e as passadas. Precisamos combater essas doenças”, disse.

Veja quais são os grupos prioritários que ainda podem tomar o imunizante:

  • Além da população em geral, os idosos acima de 60 anos;
  • Trabalhadores da saúde;
  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Gestantes e puérperas;
  • Povos indígenas;
  • Professores;
  • Pessoas com comorbidades;
  • Pessoas com deficiência permanente;
  • Forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;
  • Caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;
  • Trabalhadores portuários;
  • Funcionários do sistema prisional;
  • Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e
  • População privada de liberdade continuam podendo tomar a vacina.

Com informações do Ministério da Saúde