Morre bebê de 1 ano que ingeriu pedras de crack em Paranaguá

Criança resistiu por mais de uma semana em estado grave e respirando com a ajuda de aparelhos.

por Redação JB Litoral
27/03/2015 14:00 (Última atualização: 27/03/2015)

A criança de um ano e quatro meses que ingeriu crack em sua casa em Paranaguá, no Litoral do Paraná, não resistiu aos efeitos da substância e, após nove dias internada em estado grave no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba, morreu na noite desta quinta-feira (26).

De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, durante o período em que ficou internada, a criança estava bastante debilitada, respirando com a ajuda de aparelhos, e seu quadro clínico não foi revertido.

Além disso, a assessoria afirmou que o corpo da criança está no Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba. A avó do bebê e um tio acompanharam seus últimos momentos.

 A mãe do bebê, que tem 21 anos e está grávida de oito meses, seria traficante e está presa em Paranaguá. Se comprovado que a ingestão de 5 gramas da droga foi o que causou a morte da criança, ela pode responder na Justiça por abandonado de incapaz e maus-tratos.

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO

Intoxicação

 Segundo especialistas, a intoxicação por crack pode gerar depressão do sistema nervoso central, das funções cardíacas, convulsões e vários outros sintomas. Crianças pequenas podem sofrer essa intoxicação ao inalar a fumaça ou engolir a pedra e o quadro clínico vai depender da quantidade consumida e do nível de intoxicação.

 Não existe um nível máximo que o organismo suporta e os limites variam de acordo com o tamanho da pessoa e a quantidade de droga consumida. Quando uma intoxicação como essa é constatada, a vítima deve ser levada imediatamente ao hospital, em jejum, para que seja feita uma lavagem estomacal.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments