Pinguins resgatados pela UFPR Litoral voltam ao mar, em Pontal do Paraná


Por Diogo Monteiro Publicado 12/07/2022 às 15h03 Atualizado 17/02/2024 às 12h28

O Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) realizou, na manhã desta terça-feira (12), na praia de Pontal do Sul, em Pontal do Paraná, a soltura de oito pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) que retornaram ao mar após um mês de tratamento e reabilitação no Centro de Estudos do Mar (CEM).

O retorno das aves ao seu habitat foi acompanhado pela equipe do LEC e contou com a presença de dezenas de pessoas, que aproveitaram para levar as crianças para acompanharem o momento. A bióloga Camila Domit explicou como é feito o trabalho de captura e reabilitação dos animais quando são encontrados na praia por banhistas. “Nós estamos trabalhando desde 2008 e, diariamente, estamos nas praias monitorando as tartarugas, golfinhos e aves que voam e nadam, como nesse caso dos pinguins. Quando eles são encontrados, realizamos o resgate, prestamos o atendimento veterinário e, hoje, o CEM nos dá a condição de reabilitá-los para que eles possam seguir a sua jornada migratória”, disse a bióloga.

Os pinguins-de-magalhães migram do Estreito de Magalhães, no Chile, com destino à região Sul do Brasil, chegando por aqui no inverno, quando a aparição deles no Litoral paranaense acaba se tornando maior. O médico veterinário do CEM, Fábio Henrique de Lima, explicou como as aves chegam e são tratados durante a reabilitação. “O processo migratório acaba debilitando os pinguins mais jovens, que chegam até o nosso Litoral magros e sem forças para se alimentar, tudo isso ocasionado pela falta de experiência. E hoje, com muita alegria, nós devolvemos para a natureza oito pinguins que passaram por todo o processo de nutrição, hidratação e cuidados especiais, estando aptos a retornar para a natureza”, disse o veterinário.

De acordo com o CEM, os pinguins, diferentemente de focas e lobos marinhos, não param na praia para descansar, quando encalham é porque precisam de cuidados médico veterinários. Ao encontrar um animal debilitado ou morto, o morador deve entrar em contato com a equipe da UFPR pelo telefone: (41) 99213-8746.

Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS)

O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) tem como objetivo avaliar possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos encontrados mortos. O PMP-BS é realizado desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos.

O Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná (LEC/UFPR) é responsável por monitorar e avaliar os encalhes no Trecho 6, abrangendo os municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba (PR).

Confira a transmissão ao vivo feita pelo JB Litoral no Facebook:

▶️ JB AO VIVO Centro Estudo do Mar e Laboratório de Ecologia e Conservação realizam a soltura de oito Pinguins de Magalhães em Pontal do Paraná. Acompanhe! #JBAoVivo #PontaldoParaná

Publicado por JB Litoral em Terça-feira, 12 de julho de 2022
Notícias

Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes inaugura serviço de puericultura para bebês em Matinhos


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…