Sindicalista José Pacheco, do SINTRACON Paranaguá, morre aos 69 anos


Por Luiza Rampelotti Publicado 11/06/2022 às 16h17 Atualizado 17/02/2024 às 10h28

Na tarde deste sábado (11), familiares de José Ávido Pacheco, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil, do Mobiliário e Montagens Industriais de Paranaguá (SINTRACON), informaram o falecimento do sindicalista aos 69 anos, em decorrência de problemas cardíacos. Ele estava internado na UTI do Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul.

Pacheco, como era mais conhecido, iniciou sua trajetória no sindicalismo de Paranaguá no ano de 1986. Na época, junto com outros companheiros, passaram a defender a categoria dos trabalhadores da construção civil, montagens industriais e metalúrgicos na cidade.

Sempre muito presente nos movimentos sociais, nos idos da década de 90, Pacheco buscou, juntamente com lideranças comunitárias, melhorias nas ruas, nas construções e no centro comunitário do Jardim Samambaia. Também ajudou a ativar e integrou a diretoria da Associação de Moradores do bairro, além de fazer parte da diretoria da Associação de Pais e Mestres (APM) do Colégio Estadual Arthur Miranda Ramos.  

Naquele período, em Paranaguá, não havia fiscais do trabalho e Pacheco, junto com a diretoria do SINTRACON, liderou a luta em busca de fiscalização nas obras de construção e nas empresas instaladas no município. Mais de 20 sindicatos estiveram presentes na sede do Palácio Visconde de Nácar e o Ministério do Trabalho foi obrigado a mandar fiscais para o Litoral, a fim de levantar as irregularidades.

Em 2016, passou a integrar o Conselho Municipal do Trabalho de Paranaguá. Segundo ele, a atuação se dava “na defesa dos trabalhadores da construção civil, que são a categoria que mais precisa de uma defesa efetiva pelas péssimas condições de segurança no trabalho”.

Uma vida de lutas pelos trabalhadores

Em 2019, foi convidado pelo prefeito Marcelo Roque (Podemos) a fazer parte do Conselho de Urbanismo de Paranaguá, também na defesa dos trabalhadores da construção e montagem industrial.

Durante sua vida sindical, Pacheco apresentou inúmeras denúncias ao Ministério Público do Trabalho, buscando levar os ‘maus patrões’ às barras dos tribunais da Justiça do Trabalho.

Em 2020, foi candidato a vereador pelo Partido Comunista do Brasil (PC do B), por meio do Movimento 65. Naquela época, ele explicou o motivo de sua candidatura.

Estou no Movimento 65 porque este movimento defende a classe trabalhadora em todos os aspectos, sejam os salários, as condições de trabalho, a sua saúde e a vida que é o mais importante neste momento de pandemia. E eu quero continuar nesta luta que sempre travei e nunca vou largar mão. Sonho que um dia a classe trabalhadora vai fazer uma grande união e acabar com qualquer tipo de exploração. E eu tenho certeza que tenho condição de levar em frente essa luta”, disse durante uma entrevista.

O JB Litoral se entristece com a partida de um companheiro de longa data, e deseja, à família e amigos enlutados, muita força para superar o momento difícil.

José Ávido Pacheco será velado e enterrado em Palmeira (PR), assim como ele queria. Deixa a filha Jaqueline, a esposa Catarina, e inúmeros amigos e admiradores de sua coragem e força para travar batalhas tão importantes aos trabalhadores e sociedade.

Com informações do PC do B

Notícias

Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes inaugura serviço de puericultura para bebês em Matinhos


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…


A Maternidade Nossa Senhora dos Navegantes, em Matinhos, inaugurou, na última sexta-feira (5), o serviço de consultas de Puericultura para…